William Orbit revela curiosidades sobre a criação dos álbuns MDNA e Ray of Light

O produtor William Orbit deu uma extensa entrevista à revista HungerTV e revelou muitas curiosidades de sua carreira, e claro, do seu trabalho com Madonna desde 1998 com o álbum Ray of Light até o recente MDNA. Confira:

As pessoas ficaram tão animadas quando souberam que você estava envolvido no MDNA da Madonna. Quão diferente foi colaborar em dois projetos diferentes?

Eu sabia que elas estavam animadas pois me perguntavam sobre uma nova era do Ray of Light a cada minuto do dia. Pense dessa maneira: O Ray of Light veio muito espontaneamente. Eu e Madonna estávamos numa estúdio em Los Angeles bem distante dos lugares da moda e onde ninguém passava. Um executivo da gravadora foi lá apenas uma vez e fez alguns comentários, e lembro da Madonna dizendo a ele “Isso é arte. É assim como estamos trabalhando. Vamos deixá-lo vir e ouvir mas só o veremos de novo daqui dois meses, quando estiver pronto.” Foi uma experiência muito pura, foi tudo somente para gravar aquele álbum e nada mais interferia. Eu não tinha certeza como isso iria funcionar no início mas depois que a vi pulando nas canções de uma maneira tão artística, já pensei de imediato o quão maravilhoso o álbum seria. Madonna é uma mulher incrível, produtora e tivemos uma verdadeira parceria. É importante frisar isso: eu não gosto quando as pessoas pensam que eu era apenas o cerebro pensante fazendo o trabalho. Não foi isso que aconteceu mesmo e eu até me sentiria envergonhado se fosse ela pois no álbum tem os créditos “produzido por Madonna e William Orbit” e isso é o que realmente aconteceu. Ela não coloca o seu nome por vaidade, ela estava lá comigo trabalhando junto e não teríamos criado aquilo sem nós dois.

Já para o MDNA, é importante dizer que eu entrei no projeto tarde, ela já estava trabalhando com outros produtores. Ela tinha muito material sendo trabalhado e eu honestamente não sei como um ser humano pode criar um álbum, dirigir e produzir um filme, lançar uma linha de produtos e tudo ser lançado junto somente por ela. Eu por exemplo, tive que desmarcar um monte de compromissos nessa manhã pois estava cheio de coisas. Ela é tão organizada e gerencia o tempo de uma maneira incrível, exatamente como um general.

Ou seja, não podíamos apenas trancar a porta e deixar tudo para fora pra trabalhar no MDNA. Ela estava tendo um momento ótimo no início, mas que de alguma forma depois tornou-se muito complexo para todos nós. Eu teria mixado o álbum se eu pudesse ou apenas com a Madonna ao meu lado pois ela é ótima para mixagem. Debatemos bem sobre algo mas no final sempre acabamos na mesma direção pois somos bons em mixagem. Além disso, eu deveria ter dito que, tecnicamente, eu já fiz mais álbum do que ela e mesmo que não há nada que eu possa fazer para sequer chegar perto do que ela conseguiu, eu sei que ela pode confiar em mim para o lado técnico das coisas. Apenas me deixe estar no comando técnico dessa porra! É tão importante isso! Eu teria tirado três faixas das seis que criou com os outros produtores. Elas não são boas o suficiente, na minha opinião, acho muito infantil. Quanto as outras três restantes, eu teria sugerido deixá-las mais profundas, tornando-as mais especiais. Eu tenho o melhor time para trabalhar e outras brilhantes canções e é por isso que ainda estou um pouco confuso. Eu só estou falando sobre isso porque você me perguntou, é claro. A vida é muito cheia de coisas para se preocupar com o que já passou, temos que seguir em frente. Se eu cometi alguns erros, a culpa não é minha.

Na verdade, as seis faixas produzidas por você são, sem dúvida, as mais poderosas. Eu acho que a Madonna estava emocionalmente diferente na era Ray of Light.

Foi definitivamente um momento importante, quando um monte de coisas aconteceram. No dia em que estávamos gravando Swim no estúdio, Madonna recebeu a ligação da sua amiga Donatella informando sobre aquela coisa terrível que aconteceu com seu irmão. Nós continuamos a gravar, mas é claro que teve influência na música. Do lado positivo, ela teve uma filha, seu primeiro bebê. Que momento perfeito para escrever e gravar! O que ela faz no estúdio é fantástico e, como eu disse, o seu envolvimento nesse álbum é muito maior do que aquilo que estão nos créditos. Nós não tínhamos um plano, mas ela é boa em dirigir as coisas e quando nós terminamos Ray Of Light, ela imediatamente organizou uma audição para os executivos da Warner. Estávamos do lado de fora numa pequena sala, mexendo nuns morangos e roendo as unhas e eu só pensava “Merda, Madonna não tem a menor ideia do que eles vão responder! Ela está nervosa, muito nervosa!”. E eu não esperava ela se sentir assim pois ela nunca demonstrou isso. Acabou que todo mundo amou e depois ela começou a pular na minha frente e foi um belo exemplo de como fazer um bom álbum. Quer dizer, essa mulher nunca perdeu dinheiro, mesmo em anos ruins, mesmo assim… é diferente para Britney, por exemplo, porque Madonna é um tipo diferente de artista, é claro, e eu gostaria de ter a possibilidade de fazer o que puder para ela.
Quem sabe vamos conversar sobre isso daqui dez anos, estarei aqui para falar. Me sinto renascido e ansioso e não olhe para mim como um produtor experiente, porque eu estou pronto para trabalhar com o mesmo zelo que eu tinha no primeiro álbum. Se você conseguir viver na música por 35 anos, isso significa que você é um grande trabalhador, inteligente e que você definitivamente vai continuar até a tua morte. É um longo horizonte, não há pressa.

.

ADENDO 1: Para relembrar, as seis canções produzidas por William Orbit para o MDNA são: Gang Bang, Some Girls, I’m a Sinner, Love Spent, Masterpiece e Falling Free.

VALE LEMBRAR: Na época do MDNA, William Orbit havia escrito um post em seu Facebook dizendo que o ritmo de trabalho do MDNA não foi o que ele queria: “Vocês não vão me ver animado e satisfeito com a maneira que as coisas foram planejadas. Algumas excelentes canções ficaram de fora e muitas delas, acredito eu, se tornariam clássicos. O time que reuni em Nova York para o MDNA foi e é o melhor. Compositores e músicos que eu escolhi porque eles têm talento e todos nós nos comprometemos por inteiro em transformar o MDNA no melhor álbum do ano, mas não tivemos tempo. Nós fomos pressionados em relação ao tempo e vários compromissos que limitam o tempo dos artistas, como lançamento de perfume e concurso de moda para adolescentes e outros empreendimentos”.

ADENDO 2: William Orbit não trabalhou apenas no Ray of Light. É dele também três canções do álbum Music: Runaway Lover, Amazing e Gone, além das trilha-sonoras American Pie, Time Stood StillBeautiful Stranger.

williamorbit