Madonna fala sobre a turnê em nova entrevista: “É um show para as pessoas cantarem junto”

Com a Rebel Heart Tour prestes a se apresentar em, Detroit, no Michigan, Madonna conversou por telefone ao jornal local The Macomb Daily para falar sobre o novo trabalho.

As polêmicas no show são o ponto inicial, como na performance de Holy Water em que há pole dances em forma de cruz com freiras só de calcinha  e sutiã dançando, além de uma moderna visão da Santa Ceia. “A polêmica vem naturalmente. Eu não sei como surgem mas faz parte da minha natureza. Eu enfrento os temas polêmicos do meu trabalho. Está no meu DNA ter ideias e desafiar as normas, fazer questionamentos, transformá-los de dentro pra fora e dizer “Mas e se…?”.

“Não é por que eu não respeito as ideias e crenças das pessoas. Tenho muito respeito por isso. Mas acho que elas precisam ter suas ideias e crenças desafiadas, mesmo que para tornar aquilo que acreditam mais forte, para se fazerem perguntas: “por que estou fazendo isso? Por que acredito nisso? Por que isso me define? Acho que é importante que as pessoas façam essas perguntas, que se questionem bem como aos outros. Acho que é o propósito da arte e é nisso que penso quando estou criando um show.”

O novo show possui um time de criativos colaboradores que inclui a produtora Moment Factory, que trabalhou na apresentação do SuperBowl e na MDNA Tour, direção de Jamie King, que já trabalhou em diversas outras turnês da Madonna além da recente turnê do Cirque Du Soleil em homenagem ao Michael Jackson, e vinte dançarinos com acrobáticas performances.
“Eu comecei a vida como dançarina, então a dança é importante pra mim. Tento achar os dançarinos mais originais e únicos para trabalhar comigo e juntos contarmos uma história no palco para que inspire as pessoas e mudem a vida delas. É um objetivo grande, mas é o que temos que ter: grandes objetivos”.

Um dos destaques do show é o setlist, que faz uma viagem aos 32 anos de carreira com hits que marcaram sua trajetória. E ela afirma ser a parte mais difícil da criação.
“É muito difícil escolher. Às vezes tenho que deixar de fora algumas músicas que amo pois não se encaixam, não soam direito, não tem a ver com o tema. Ou eu coloco sabendo que já toquei nas últimas três turnês e mesmo amando, mudo um pouco para ter algo novo.”

“Sabe, eu tendo a gostar de coisas mais abstratas, usar canções menos comerciais, mas eu percebi que eu tenho que ter músicas que as pessoas conhecem, que elas queiram cantar junto. Então eu tenho que equilibrar isso e não apenas fazer um show criativo que vai me agradar.”

“Às vezes eu tenho certeza de uma canção nova que quero apresentar no show mas de repente escuto uma antiga e penso “Hum, essa é melhor”, então mudo de ideia, mesmo amando a outra e por nunca ter apresentado ao vivo. Tenho que ser brutal às vezes e cortar mesmo, sem remorso. É difícil. É como editar um filme onde há cenas que você ama mas elas não ajudam a contar a história, então tem que cortar e seguir em frente.”

Madonna falou também sobre sua vida atualmente e do que sente falta:
“Eu tenho uma vida muito disciplinada. Não faço muitos programas sociais. Minha vida gira em torno dos meus shows, meus filhos e tentando ter um estilo de vida bastante saudável. A única coisa que sinto falta é dormir, como sempre.”

E deixou um recado sobre os planos futuros:
“Eu ainda estou inspirada, apenas por viver e por estar viva. Não acho que a inspiração um dia expire, sabe? Você tem que continuar indo até não ter mais nada a dizer. Eu ainda tenho muito o que dizer, então eu continuo.”

1024x1024-5