10 fatos e momentos da REBEL HEART TOUR que vão deixar saudades

A Rebel Heart Tour chegou ao fim neste fim de semana após 7 meses de estrada pelo mundo, com 82 shows em 4 continentes, 24 países e 55 cidades. Sem dúvidas, um dos melhores shows da carreira de Madonna e vai deixar – muitas – saudades. Foram diversos os momentos em que nos emocionamos, rimos, choramos e gritamos juntos com ela nessa incrível turnê.
É muito difícil listar tudo o que esse show nos proporcionou de boas lembranças. Por isso, a lista abaixo traz 10 fatos marcantes e que se interligam – e essa é só uma parte de tudo o que essa era vai deixar marcado em nossos #rebelhearts. Confira!

rebel_heart_tour_logo

1) Madonna acessível
Isso é unânime entre os fãs. A percepção de todos é que Madonna nunca esteve tão próxima e interagiu tanto com o público quanto na Rebel Heart Tour. E o que ajudou muito foi a longa passarela em formato de cruz – a maior já feita em sua carreira. Em cada show, os fãs tinham a chance de pegar na mão dela, conversar, dançar junto no palco e, acredite, receber proposta de casamento da Rainha. Teve até beijo na boca entre uma fã e Madonna! :O Ela estava tão à vontade conversando com os fãs que, além de contar piadas, revelava histórias inéditas – como a de que seu ex-namorado a traiu com a sua treinadora – e chorou ao dizer também que passa por momentos difíceis por estar separada do filho Rocco.

madonna-rebeltour01

.

2) Unapologetic Bitches
Sem dúvidas, uma das maiores surpresas do show. A cada noite, fãs eram escolhidos na plateia para subir ao palco e dançar loucamente com a Rainha. Quem nunca imaginou um dia poder estar no palco com ela? Parecia um sonho tão distante, mas nessa turnê se tornou real! Teve fã vestido com os looks mais icônicos da carreira dela, teve fã vestido de Frida Khalo, teve homem, teve mulher, teve drag, teve malhado, teve gordinho, tiveram muitos brasileiros e teve Madonna EN-CO-XAN-DO os fãs todas as noites.
Também tivemos diversos convidados especiais no palco com ela: Diplo, Nelly Furtado, Katy Perry, Ariana Grande, Rita Ora, Stella McCartney, Idris Elba, Grahan Norton, Jean Paul Gaultier, Jon Kortajarena, Anderson Cooper e Amy Shcumer foram alguns dos famosos que tiveram um momento mágico com Madonna. Os filhos David Banda e Mercy também requebraram no palco com a mamãe. Shakira e o marido Gerard Pique não subiram ao palco, mas tiraram foto no camarim com Madonna – Beyoncé e Jay-Z assistiram da plateia em Los Angeles e Sean Penn curtiu shows nos Estados Unidos e Canadá, sempre coladinho ao palco-coração <3. A maior falta ficou mesmo com a esperada participação da Kylie Minogue nos shows da Austrália. Em espírito não vale, né querida? Quem sabe na próxima turnê…

madonna-rebeltour02

.

3) Selfies e fotos maravilhosas
Essa foi a primeira turnê em que tivemos Madonna utilizando o Instagram enquanto estava na estrada. E o maravilhoso disso é que tivemos teasers antes da estreia, selfies lindonnas, imagens dos bastidores, fotos de ensaios e por aí vai. Quem se lembra dela postando um trecho do video de Iconic, em que ela usa a mesma roupa do Oscar de 1991, pouco antes da estreia? Ou das selfies pós-show? Uma das melhores fotos, pra mim, é a dela vestindo o roupão “Madonna for President”. Seria um sonho Madonna disputando as eleições presidenciais nos Estados Unidos este ano? :)

madonna-rebeltour03

.

4) Figurinos incríveis
Essa foi uma das turnês com os figurinos mais belos e detalhados da carreira da Madonna. Somente no primeiro bloco, com a sobreposição de roupas, Madonna aparecia com quatro looks diferentes! E não só os figurinos dela chamavam atenção, mas também dos dançarinos e da banda acompanhavam a riqueza de detalhes da estrela principal.
Nesse show, Madonna também variava muito as roupas a cada cidade, como as camisas quadriculada e preta do segundo bloco, as capas de Living for Love, a saia do medley de Dress You Up/Into The Groove/Lucky Star, entre outros. Nos shows na Ásia ela ainda incluiu um quepe na performance de Deeper & Deeper e Like a Virgin. Charmosonna! E nos shows para a gravação do DVD em Sydney, ela mudou o shorts para um mais cavado, botando a bundonna pra jogo. Abusadonna!
Lembrando que, além de sua figurinista pessoal Arianne Phillips, a turnê continha criações de Jeremy Scott (Moschino), Alexander Wang, Alessandro Michele (Gucci), Fausto Puglisi, Prada, Miu Miu, Swarovski e Nicolas Jebran.
madonna-rebeltour04

.

5) Setlist – quase! – impecável
Outro acerto da Rebel Heart Tour é a escolha do setlist. Madonna, como sempre, conseguiu conciliar muito bem os novos sucessos com os clássicos. Foram onze músicas do Rebel Heart – Madonna nunca cantou tanta música de um único álbum num show. Quem poderia imaginar Love Don’t Live Here Anymore cantada ao vivo numa turnê em pleno 2015/2016? Ou Who’s That Girl e True Blue em versões acústicas? S2
O QUASE do subtítulo fica justamente pela falta de Ghosttown, uma linda música que acabou sendo cantada como extra em poucos shows. Também sentimos falta de Hold Tight, que apareceu nos teasers dos ensaios antes da estreia, mas nunca chegou a ser apresentada. Ah, e teve o sumiço de Everybody do medley latino, que só foi cantada nos shows de estreia, em Montreal. Uma pena, pois tinha ficado tão fofa!

.

6) Músicas surpresa
Com a Rebel Heart Tour, tivemos uma surpresa que nos lembrou aquele momento ‘Peça a sua música’ da Sticky & Sweet Tour. A diferença é que, dessa vez, a escolha da música era feita por ela mesma (e acompanhada pelos instrumentos da banda).
Foram tantas músicas maravilhosas que é impossível escolher a que mais surpreendeu. Anotem: Ghosttown (que, como eu já disse, merecia fazer parte do setlist fixo), Secret, Frozen, Drowned World/Substitute For Love, Open Your Heart, Take a Bow, Don’t Cry For Me Argentina, Spanish Lesson, Don’t Tell Me, Like a Prayer, Hung Up, Crazy For You.
Take a Bow foi tão poderoso que a terra até tremeu quando ela cantou pela primeira vez em Taiwan (um terremoto de 6,4 graus na escala Richter atingiu o país no dia seguinte ao show). Também tivemos trechos lindos de Fever, Diamonds are a Girl Best Friend, I Love New York, Beautiful Stranger e Hanky Panky. Eta carreira cheia de música!

.

7) Energia que não acaba NUNCA
Madonna é conhecida, seja por seus fãs ou não, pela sua energia e vitalidade no palco (e fora dele também). E nessa turnê não foi diferente. Tivemos Madonna ficando de ponta cabeça em um mastro, fazendo pole dance na cruz, girando em cima de pneus de sua borracharia, fazendo a toureira, dominando aquele palco todo sozinha em Like a Virgin e indo até o chão em Candy Shop, do jeito que a gente, e ela, gosta. Mas a maior prova de que a energia dela NUNCA acaba, aconteceu no último show de 2015, em Glasgow, quando a energia da arena foi cortada antes do espetáculo acabar devido ao horário. Como a energia dela não acabou, mesmo assim sem as imagens dos telões, iluminação e som do microfone, Madonna continuou lindamente Holiday junto com sua banda e dançarinos. Um momento MÁGICO da turnê!

.

8) Homenagens
Madonna nunca deixa de se posicionar em relação a grandes acontecimentos do mundo. E foi assim com os atentados de Paris, que mataram 129 em novembro de 2015. No dia seguinte aos atentados, Madonna falou sobre amor para 44 mil pessoas no show de Estocolmo e dedicou Like a Prayer às vítimas. No show de Paris, que teve a segurança reforçada devido aos ataques, Madonna cantou Redemption Song do Bob Marley no palco com o filho David (mas a maior surpresa veio depois do show e merece um capítulo à parte…) A homenagem ao David Bowie foi ‘ICONIC’. Ela cantou Rebel Rebel e contou novamente a história de que foi ele que serviu de inspiração para Madonna se tornar uma artista. A morte de Johny Cash também teve homenagem, com Madonna cantando um trecho de Ring of Fire no show de Nashville, além de falar sobre Martin Luther King. Em Brisbane, na Austrália, homenageou a Kylie Minogue com o hit Can’t Get Out of My Head. Fofa!
madonna-rebeltour06

.

9) Ao vivo na praça
Inimaginável! Essa é a palavra para descrever o que aconteceu na noite do dia 10 de dezembro de 2015. Após o término do emocionante show de Paris, Madonna saiu às pressas da arena e foi, sem avisar ninguém, para a Praça da República cantar algumas músicas. Somente quando já estava lá, Madonna postou uma foto no Instagram chamando os fãs para cantarem junto com ela em homenagem às vítimas. Os sortudos que conseguiram chegar a tempo puderam ficar MUITO próximos da Rainha e cantar Imagine, Like a Prayer e Ghosttown bem baixinho com ela. O amigo do MOL, Josh Brandão, esteve lá e contou a sensação de participar disso tudo. Em uma palavra: LÁGRIMAS.
8I6C6664-02-ok

.

10) Carinho pelo Brasil
Sim, ficamos tristes pelo fato de o Brasil não ter entrado para o roteiro final da Rebel Heart Tour, apesar das negociações terem acontecido meses antes da estreia. Muitos fatores influenciaram nessa decisão e o motivo real, de fato, talvez nunca iremos saber. Mas, se olharmos por outro lado, é muito bom ver as demonstrações de carinho da Madonna pelo Brasil que tivemos durante a turnê.
A começar pela cidade de estreia, em Montreal, onde Madonna pegou a bandeira do Brasil no segundo show. Também tivemos diversos brasileiros subindo ao palco em Unapologetic Bitch: Graziela em Edmonton (Canadá), Eduardo em Glendale (Estados Unidos), Bruno em Amsterdã (Países Baixos), Madonninho em Turim (Itália) e o Fernando em Auckland (Nova Zelândia). Teve também a arte gráfica de dois brasileiros no telão durante a canção Rebel Heart (Laerte de Oliveira e Fabricio Moretti), além dela chamando os fãs brasileiros de “gôxtosos” no show em Miami – e, claro, da bandeira do nosso país no telão de todos os shows no vídeo de Holiday. Arrasou, PERIGUETE!

.

B Ô N U S
11) Tears Of a Clown
Depois de 23 anos sem se apresentar na Austrália, Madonna preparou um presente especial para os fãs de lá. Foi o Tears Of a Clown, em show único e emocionante que reuniu piada, diversão e música. Não sei o que foi mais fod* nesse show: ver a ironia da mistura entre Madonna vestida de palhaço e o olhar triste dela (pela falta do filho Rocco) ou as INCRÍVEIS músicas que ela apresentou. Tivemos canções do American Life e Music que ela nunca tinha cantado em um show, como Intervention. SONHO REAL!
madonna-rebeltour07

.

4 momentos que não vão deixar tanta saudade assim…

1) Madonna triste
O lado bom dessa turnê, onde Madonna mostra toda a sua alegria em maior proximidade dos fãs, também tem seu lado ruim. Digo isso porque, ao se demonstrar mais humana, Madonna também revelou ter seus momentos de fragilidade, como qualquer um de nós. E isso ficou mais evidente nos problemas com o filho Rocco, onde Madonna chegou a chorar no palco ao dizer que estava passando por momentos difíceis. Isso quebra o coração de qualquer fã. Minha torcida é que, com o fim da turnê, Madonna consiga ter mais tempo para se reaproximar do filho e curtir.

2) Censura Tour
Um dos fatos que mais me surpreendeu negativamente nessa turnê. Todos sabemos de cor e salteado as polêmicas envolvendo Madonna X Igreja Católica em toda a carreira dela. Seja por apresentações polêmicas em turnês, como a crucificação na Confessions Tour, seja em videoclipes, como o beijo no Santo negro e fogo na cruz de Like a Prayer, essa é uma polêmica antiga. Mas Madonna nunca recuou e se rendeu a protestos contra sua arte. Para ela, o que é apresentado no palco é uma manifestação artística e não uma verdade absoluta. Por isso digo que não gostei das mudanças no show de Singapura, mesmo que elas tiveram sido tomadas para atender uma lei do país que proíbe manifestações religiosas. Chegou a ser irônico ver Madonna dizendo para “lutar pelo que acredita” no vídeo de abertura e, no mesmo show, cortar 3 músicas. Poxa, Madonna!

3) Atrasadonna
Não é de hoje (e nem de ontem, rs) que Madonna se atrasa para subir ao palco. E na Rebel Heart Tour não foi diferente. Para mim, o atraso em si não seria um problema – caso ele não tivesse consequências. O problema é quando os atrasos causam transtornos, principalmente na Europa onde a maioria se locomove por transporte público, que tem hora pra fechar. Nessa turnê, tivemos Madonna cortando músicas para o show acabar no horário e até deu bronca nos fãs que a vaiaram em Birmgham. Tudo isso poderia ser poupado se os atrasos fossem menores, né? Em Londres ela foi pontual senão levava multa. E o erro de comunicação é sempre o mesmo a cada turnê: no ingresso vem escrito 20h, mas não informam que isso é o DJ de abertura. Seria tão mais fácil: DJ, 20h, Madonna, 22h. Pronto :)

4) Capa de Living For Love
A temida capa. Desde a queda na apresentação do Brit Awards, Madonna “prometeu” em entrevistas nunca mais usar capas. E, depois da turnê, talvez ela tenha mudado de ideia. Apesar de a capa ser linda, de vez em quando algo dava errado nos shows: tivemos o quase tombo no show (de novo) em Chicago, atrasos na troca de roupa e ela correndo na passarela, como no video abaixo em Estocolmo. Definitivamente, na próxima turnê, NADA DE CAPAS, MULHER!

.

Com tanto trabalho duro e momentos maravilhosos, Madonna agora vai tirar as merecidas férias e curtir com a família – e, se Deus quiser, tudo vai ficar bem entre ela e o Rocco.

Teremos alguns meses para a edição do DVD e o que virá depois, ninguém sabe. Mas, como todo fã, já fico na torcida para que a próxima era chegue logo e que seja tão (ou mais) maravilhosa do que a Rebel Heart!

Ps: Quando teremos uma nova tour, eu não sei. Mas podem escrever: VAI TER CANDY SHOP SIM! ACEITA! HAHAHAHAHAHA

BYE BITCHES!

.

Relembre também:

AMÉRICA
Data Cidade País Local Pré-venda À venda Público
09/Set Montreal Canadá Bell Centre ESGOTADO
10/Set Montreal Canadá Bell Centre ESGOTADO
12/Set Washington EUA Verizon Centre ESGOTADO
16/Set Nova York EUA Madison Square Garden ESGOTADO
17/Set Nova York EUA Madison Square Garden ESGOTADO
19/Set Brooklyn EUA Barclays Center ESGOTADO
21/Set Quebec Canadá Centre Videotron ESGOTADO
24/Set Filadélfia EUA Wells Fargo Center ESGOTADO
26/Set Boston EUA TD Garden ESGOTADO
28/Set Chicago EUA United Center ESGOTADO
01/Out Detroit EUA Joe Louis Arena ESGOTADO
03/Out Atlantic City EUA Boardwalk Hall ESGOTADO
05/Out Toronto Canadá Air Canada Centre ESGOTADO
06/Out Toronto Canadá Air Canada Centre ESGOTADO
08/Out St. Paul EUA Xcel Energy Center ESGOTADO
11/Out Edmond Canadá Rexall Place ESGOTADO
12/Out Edmond Canadá Rexall Place ESGOTADO
14/Out Vancouver Canadá Rogers Arena ESGOTADO
17/Out Portland EUA MODA Center ESGOTADO
19/Out San Jose EUA SAP Center at San Jose ESGOTADO
22/Out Glendale EUA Gila River Arena ESGOTADO
24/Out Las Vegas EUA MGM Grand Garden Arena ESGOTADO
27/Out Los Angeles EUA The Forum ESGOTADO
29/Out San Diego EUA Valley View Casino Center ESGOTADO
06/Jan/16 Cidade do México México Sports Palace ESGOTADO
07/Jan/16 Cidade do México México Sports Palace ESGOTADO
10/Jan/16 San Antonio EUA AT&T Center ESGOTADO
12/Jan/16 Houston EUA Toyota Center ESGOTADO
14/Jan/16 Tulsa EUA BOK Center ESGOTADO
16/Jan/16 Louisville EUA KFC Yum! Center ESGOTADO
18/Jan/16 Nashville EUA Bridgestone Arena ESGOTADO
20/Jan/16 Atlanta EUA Philips Arena ESGOTADO
23/Jan/16 Miami EUA American Airlies Arena ESGOTADO
24/Jan/16 Miami EUA American Airlies Arena ESGOTADO
27/Jan/16 San Juan Porto Rico Coliseo de Puerto Rico ESGOTADO
28/Jan/16 San Juan Porto Rico Coliseo de Puerto Rico ESGOTADO

 

EUROPA
04/Nov Colônia Alemanha LANXESS Arena ESGOTADO
05/Nov Colônia Alemanha LANXESS Arena ESGOTADO
07/Nov Praga República Checa O2 Arena ESGOTADO
08/Nov Praga República Checa O2 Arena ESGOTADO
10/Nov Berlim Alemanha Mercedes-Benz Arena ESGOTADO
11/Nov Berlim Alemanha Mercedes-Benz Arena ESGOTADO
14/Nov Estocolmo Suécia Tele 2 Arena ESGOTADO
16/Nov Herning Dinamarca Jyske Bank Boxen ESGOTADO
19/Nov Turim Itália Pala Alpitour ESGOTADO
21/Nov Turim Itália Pala Alpitour ESGOTADO
22/Nov Turim Itália Pala Alpitour ESGOTADO
24/Nov Barcelona Espanha Palau Sant Jordi ESGOTADO
25/Nov Barcelona Espanha Palau Sant Jordi ESGOTADO
28/Nov Antuérpia Bélgica Sportpalais ESGOTADO
29/Nov Mannheim Alemanha SAP Arena ESGOTADO
01/Dez Londres Inglaterra O2 Arena ESGOTADO
02/Dez Londres Inglaterra O2 Arena ESGOTADO
05/Dez Amsterdã Holanda Ziggo Dome ESGOTADO
06/Dez Amsterdã Holanda Ziggo Dome ESGOTADO
09/Dez Paris França Bercy ESGOTADO
10/Dez Paris França Bercy ESGOTADO
12/Dez Zurique Suíça Hallenstadion ESGOTADO
14/Dez Manchester Reino Unido Manchester Arena ESGOTADO
16/Dez Birmingham Reino Unido Barclaycard Arena ESGOTADO
20/Dez Glasglow Escócia SSE Hydro ESGOTADO

 

ÁSIA/OCEANIA
04/Fev Taipei Taiwan Taipei Arena ESGOTADO
06/Fev Taipei Taiwan Taipei Arena ESGOTADO
09/Fev Bangkok Tailândia Impact Arena ESGOTADO
10/Fev Bangkok Tailândia Impact Arena ESGOTADO
13/Fev Tóquio Japão Saitama Arena ESGOTADO
14/Fev Tóquio Japão Saitama Arena ESGOTADO
17/Fev Hong Kong China Asia World Arena ESGOTADO
18/Fev Hong Kong China Asia World Arena ESGOTADO
20/Fev Macau China Studio City Event Center ESGOTADO
21/Fev Macau China Studio City Event Center ESGOTADO
24/Fev Manila Filipinas Mall Of Asia Arena ESGOTADO
25/Fev Manila Filipinas Mall Of Asia Arena ESGOTADO
28/Fev Singapura Singapura Singapore National Stadium ESGOTADO
05/Mar Auckland Nova Zelândia Vector Arena ESGOTADO
06/Mar Auckland Nova Zelândia Vector Arena ESGOTADO
10/Mar Melbourne Austrália TEARS OF A CLOWN – Forum Theatre ESGOTADO
12/Mar Melbourne Austrália Rod Laver Arena ESGOTADO
13/Mar Melbourne Austrália Rod Laver Arena ESGOTADO
16/Mar Brisbane Austrália Brisbane Entertainment Centre ESGOTADO
17/Mar Brisbane Austrália Brisbane Entertainment Centre ESGOTADO
19/Mar Sydney Austrália Allphones Arena ESGOTADO
20/Mar Sydney Austrália Allphones Arena ESGOTADO

 

Foto da equipe divulgada pelo empresário Guy Oseary:
crew-rebelhearttour

madonna-rebel

rebelhearttour11990418_1201431906550189_8922953105141451576_n