Álbum MDNA completa 4 anos!

Já faz quatro anos que Madonna lançava o seu álbum MDNA e que resultou nos singles Give Me All Your Luvin, Girl Gone Wild e Turn Up the Radio.

Um trabalho que mistura a alegria através das canções co-produzidas por Martin Solveig e Benny Benassi, com as densas letras nas músicas co-produzidas por William Orbit.

MDNA ficou em primeiro lugar em 50 países somente na pré-venda via iTunes, um mês antes de seu lançamento oficial. Na primeira semana de lançamento, vendeu 740 mil cópias no mundo e até hoje ultrapassou as 2 milhões de cópias. No Brasil, MDNA vendeu mais de 80 mil cópias e conquistou o certificado duplo de platina.

Logo quando divulgou o título, Madonna recebeu críticas de profissionais anti-drogas pela similaridade com o componente químico presente em algumas drogas, o MDMA. Na língua inglesa, o ecstasy é popularmente conhecido como MDMA e, apesar do argumento óbvio de MDNA ser a abreviação de MADONNA, fica clara a esperta intenção em fazer associação com uma droga que causa euforia e prazer. (Belo argumento para um bom álbum, não?) Em entrevista na época, Madonna falou sobre a polêmica. “É um anagrama do meu nome. Eu realmente não penso sobre a polêmica, penso sobre ironias.”

O produtor Martin Solveig revelou várias curiosidades sobre o processo criativo do álbum e, principalmente, que o conceito era fazer as pessoas sorrirem.
“Ela queria fazer as pessoas dançar e procurava fazer músicas pegajosas, com mensagem e com algo simples e cheio de energia. Ela queria sorrisos! Ela queria trabalhar esse lado risonho. Com William Orbit, foi mais introspectiva. Comigo, costumava dizer: “O que precisamos é que as pessoas sorriem ao ouvir essas canções. Isso é o que gosto no seu trabalho, dessa energia positiva”. Ela acha que as pessoas perderam isso hoje em dia na música e é o que estão precisando.”

No ano passado, em conversa online com fãs, Madonna revelou que adoraria ter lançado a belíssima canção Falling Free como single. “É uma das minhas músicas favoritas do álbum. É uma canção brilhante, não é convencional. Adoraria ter lançado-a.”

O álbum conta ainda com participações de Nicki Minaj (nas canções Give Me All Your Luvin’ e I Don’t Give A), da M.I.A. (B-day Song e Give Me All Your Luvin’) e da filha Lola Leon em Superstar.

A canção Masterpiece foi escrita para o filme W.E e ganhou o Globo de Ouro de Melhor Canção Original.

O álbum resultou também na turnê MDNA Tour, que foi a turnê mais lucrativa de 2012 e tornou-se a segunda turnê da Madonna a entrar no seleto grupo das 10 turnês que mais arrecadaram na história da música!

PROMOÇÃO RELÂMPAGO! CD DUPLO MDNA por R9,90!
Compre aqui: http://oferta.vc/qL7R
+10% desconto usando o código MEGAOFF10

Pegue o seu CD, Vinyl ou MP3, aumente o som e celebre essa data!
Vote em sua música favorita:

Qual a sua música favorita do MDNA?

Girl Gone Wiwld0%
Gang Bang0%
I’m Addicted0%
Turn Up the Radio0%
Give Me All Your Luvin’0%
Some Girls0%
Superstar0%
I Don’t Give A0%
I’m a Sinner0%
Love Spent0%
Masterpiece0%
Falling Free0%
Beautiful Killer0%
I Fucked Up0%
B-day Song0%
Best Friend0%



Madonna e Nicki Minaj no estúdio.
nicki-minaj-madonna-2014-maxw-650

Entrevista com os produtores:

Abaixo, relembre o que a imprensa achou do álbum:

“Primeiro disco de Madonna pós-Lady Gaga é pura autoafirmação. Mas é sensacional! Ainda bem que surgiram rivais. Em seu 1º disco em quatro anos, Madonna volta com tudo para provar, mais uma vez, por que é chamada de rainha do pop. Adele pode dominar as paradas, Lana Del Rey pode ter o vídeo mais visto do YouTube, e Lady Gaga pode ser a celebridade mais influente do mundo segundo a revista Forbes. Mas, no placar do pop, Madonna ainda dá de dez a zero em qualquer uma delas.”
Veja Online

“Num cenário em que cantoras como Katy Perry, Lady Gaga e Britney copiam muito mais o comportamento ousado de Madonna do que seu faro para a música, não é preciso muito esforço para bater as rivais. MDNA nem é o seu melhor, mas supera com folga a concorrência.”
Veja

“É raro ouvir um lançamento tão inexpressivo, em todos os sentidos da palavra, como MDNA. É quase uma anomalia: você coloca o disco pra tocar, aumenta o volume, turbina os graves e nada. MDNA não incomoda nem seduz. Passeia insosso por uma coleção de faixas de dance pop genérico, que parecem ter saído de uma máquina de fazer faixas de dance pop genérico.”
Estadão

“MDNA é a trilha-sonora perfeita para 2012. Madonna vai fundo nos seus mais belos sonhos e nos piores pesadelos. Não é um novo Ray of Light ou Confessions, nem um Erotica. É melhor que todos esses pois reúne todas as Madonnas que amamos ou odiamos e que conhecemos bem, além de ter um som completamente novo.”
The Wild Magazine

“MDNA arrebenta e é revelador! É o álbum mais pessoal e emocional da Madonna.”
USA Today

“Madonna nunca se abriu tanto num álbum pós-divórcio. Sete das 16 canções do MDNA falam diretamente sobre a separação e é o seu trabalho mais explícito. Uma mistura do eletro atual com clássicos do pop mais antigo que pode soar obscuro, confuso e conflitante. Suas músicas sempre foram sobre a libertação da opressão mas pela primeira vez essa opressão é interna: com perdas e mágoas. É, as estrelas realmente são como nós.”
Rolling Stone

“MDNA é um universo da dance music sem ser banal. Esse é sem dúvida um dos mais importantes álbuns na carreira da Madonna. A Rainha do Pop selou sua evolução na dance music.”
Swide.com

“MDNA é como o Ray of Light turbinado com esteróides. Desculpe, monstrinhos, amamos a Lady Gaga mas esse álbum tornou tudo o que ela já fez parecer redutivo.”
Examiner

“MDNA é uma droga que vale a pena!”
MTV

“Madonna ainda mostra ao mundo como o pop deve ser feito. MDNA é uma coleção de boas e poderosas canções algumas delas feitas com brilhantismo. Madonna ainda é muito a rainha do pop.”
Billboard

“Os primeiros singles fracos lançados poderiam sugerir que ela estava se perdendo mas há algo muito mais fantástico no álbum. Jovens e clubbers com metade da idade da Madonna terão de admitir que ela ganhou seu espaço na pista de dança com MDNA.”
This is London

“MDNA é uma descarga de adrenalina. Segue a sua cartilha de conter faixas dançantes e boas baladas introspectivas enquanto adiciona novos produtores ao seu mundo.”
Los Angeles Times

“Ela está de volta ao seu melhor com o álbum mais dançante que já produziu e faz parecer o Confessions on a dance floor um álbum para chillout. Madonna soa verdadeira novamente.”
Daily Star

“Madonna voltou a direção do Confessions on a dance floor num álbum cheio de clássicos pop. É um retorno ao que ela faz de melhor e graças as parcerias de sucesso com top produtores europeus.”
The Sun

“Madonna voltou para a briga com um pop para todos. Com metade do álbum produzida por Benassi e Demolition Crew, ela vai tentar saciar o faminto público jovem do século 21.”
Drowned In Sound

“Madonna retorna com sucesso com o que faz de melhor: um disco cheio de energia, emocionante e deixa a mensagem bem clara: só pode existir uma rainha do pop. E Madonna bate em suas rivais.”
The Times

“Madonna mostra a nova geração de divas que ainda é a grande rainha. Traz todo o seu currículo pop para restabelecer o domínio feito por outras artistas. MDNA traz toda a correção que os produtores de Hard Candy não conseguiram aplicar. Nicki Minaj grita em I Don’t Give A “Há apenas uma rainha e é a Madonna, sua puta!”. Aonde quer que Lady Gaga esteja, suas orelhas provavelmente estão pegando fogo.”
The Independent

“MDNA não é um álbum perfeito, há gloriosas faixas promissoras e, infelizmente, uma ou duas falhas ali no meio, mas não seria um álbum da Madonna se ela não estivesse se arriscando. Talvez o aspecto mais surpreendente é que não existem hits óbvios, mas o faz ter uma audição emocionante e verdadeiramente fascinante.”
Digital Spy

“MDNA é brilhantemente descontrolado.”
The Guardian

“MDNA faz os álbuns recentes de suas rivais Gaga e Britney parecerem desleixados. Para resumir, ela acertou em cheio! E parece que o produziu com suas letras mais pessoais. Ela ainda está ditando regras de seu estrelato e é apenas o próximo capítulo de uma história já apaixonante.”
Mirror

“MDNA ainda faz Madonna imperar no mundo pop.”
The Telegraph

“Em apenas duas audições podemos dizer que é um deslumbrante e moderno álbum. Não é perfeito, mas há extraordinários níveis altos e bons o suficiente para compensar alguma coisa estranha.”
Pop Justice

“É Madonna voltando para as pistas de dança.”
GQ Magazine UK

“Enquanto Hard Candy parecia que estava segurando alguma tendência, MDNA é muito mais Madonna sendo apenas Madonna. E isso acaba sendo melhor pra todo mundo.”
MusicOMH

“Há músicas pessoais, inspiradoras e é como se ela dissesse em alto e bom som “Eu ainda estou aqui e foda-se o resto!”
Boy Culture

“MDNA é exatamente o que você queria: um massante e elétrico álbum cheio de energia! Talvez o álbum mais comercial que Madonna já fez. Ela está de volta as suas raízes dançantes. Acho até melhor que o Confessions.”
Sergio Kletnoy, Marie Claire

“Madonna ainda é a rainha e com a força de MDNA, é difícil argumentar contra. MDNA não é um intenso pop como em Confessions, não é nada drasticamente novo ou experimental como muitos críticos de música gostariam, mas é “bom pra caralho”, divertido, dançante e cheio de drama. É o que os fãs estavam esperando: um pancadão para colocá-la de volta ao topo. Um cheque-mate contra Lady Gaga – que apesar de ter seu brilho, não chega a dar canções tão fáceis para a pista de dança como alguns hits que Madonna faz. ”
Attitude

Os vídeos:

Outros videos:

Madonna fez aparição ao lado de Avicii no Ultra Music Festival em Miami