RuPaul e Michelle Visage falam sobre a importância da Madonna

Em seu podcast semanal, “A What’s the Tee”, RuPaul e sua parceira Michelle Visage conversaram dessa vez sobre a Madonna. O papo começou sobre o discurso que ela fez no Billboard Women Awards e resultou sobre sua importância no mundo da música. Acompanhe:

Ru: Voce assistiu o discurso de Mulher do ano para a Billboard que a Madonna fez?

Michelle: Sim, foi incrível. Eu não tenho muitos ídolos, mas Madonna está definitivamente acima de todas as pessoas que admiro. Mas, infelizmente, ela perdeu muito dos fãs dela no decorrer dos anos por muitas razões. Algumas pessoas esqueceram que ela existe, outros pensam que ela está velha demais, que ela já deu tudo o que tinha que dar. As pessoas são muito maldosas. Essa mulher abriu o caminho para tanta gente, para todas as divas pop e que não existiriam hoje sem a Madonna. Ela realmente abriu os portões em termos de criatividade e autenticidade. Eu fico triste quando ouço as pessoas a criticarem e dizerem que ela tem 58 anos e deveria agir de acordo com a idade dela e que não deveriam vestir isso ou aquilo. O corpo da Madonna é o melhor do que muitas meninas de 20 e poucos anos. Mas mudando completamente de assunto: você notou a bunda nova dela? 

Ru: Você comentou isso quando assistiu a Rebel Heart Tour. Acha que ela deu uma turbinada na bunda?

Michelle: Ah, ela fez isso 100% – a bunda dela foi aumentada mas quando eu a vi na Rebel Heart era muito diferente do que aparenta agora. Ela deve ter injetado mais alguma coisa.

Ru: E você acha que não se trata apenas de enchimentos de espuma e sim uma substância que ela injetou?

Michelle: Não são enchimentos de espuma, são preenchimentos, substâncias.

Ru: É, eu assisti o karaokê no carro com o menino.

Michelle: Quando ela se vira e mostra o resultado?

Ru: Sim… e eu estou em um meio onde conheço meninas que injetam preenchimentos por anos e anos. Eu reconheço uma bunda com silicone quando vejo uma.

Michelle: E você está insinuando que ela não injetou nada?

Ru: Sim, parece que ela fez algo, mas eu acho que ela passou a vida inteira magra demais. Então o pouco que engorde, todos percebem.

Michelle: Ela definitivamente engordou um pouquinho, ficou mais gostosa. Mas não foi isso apenas, tem algo mais ali.

Ru: Você fala dela dançando com Ariana Grande? Me parece bem real em minha opinião, quase perfeita. Não acho que tenha sido.

Michelle: Não me leve a mal, eu achei incrivel. Eu adoro o fato de ela estar abraçando a causa.

Ru: Eu acho que ela não fez nada, é a mesma coisa de quando você assistiu a turnê mas ela me parece que engordou uns 5 quilos. E eu acho que é por isso que parece desse jeito.

Michelle: Eu acho que não. Ela colocou mais coisa ali. Gente, por favor, eu não estou criticando e nem reprovando, eu achei lindo… parece perfeito. Eu adoro ela estar se achando gostosa e, na minha opinião, se ela quer se vestir da forma que deseja, qual a restrição disso? Não existe limites pra isso.
Dizem que ela está envergonhando os filhos. Por que as pessoas acham que deve existir um limite de idade? Quem faz essas regras? Por que as pessoas se acham no direito de julgar o que a Madonna deve ou não deve vestir? Eu não concordo com isso.

Ru: Nós somos todos culpados e cúmplices nessa ideia de que as coisas deveriam ou não ser de uma certa forma. Eu vou dizer a minha opinião sobre o discurso que ela fez. Tudo que ela disse, com uma precisão incrível mas, vou me arriscar a dizer que Madonna parece ter feito anos de análise, ela estudou a Cabala como ninguém mas quando subiu ao palco, ela fez algo que eu ja a vi fazer desde que virou pessoa pública: ela estava visivelmente nervosa, então a primeira coisa que ela faz quando fica nervosa é reverter o jogo e dizer algo que faz com que as outras pessoas fiquem nervosas ao invés dela. Ela disse: ‘eu gosto de algo duro no meio as minhas pernas’. Essa é uma técnica bem antiga pra ativar seus nervos. Então, ela se dirige ao microfone, que é moderno e capta qualquer ruído, um microfone de ‘área’ e se abaixa pra falar direto no microfone. Ela está tão nervosa que não está em seu corpo, ela ficou perdida no começo. Quantas premiações você acha que ela já compareceu?

Michelle: Jesus, milhares…

Ru: E ela está nervosa, ela esquece que não precisa falar diretamente para o microfone do jeito que você fala com um microfone tradicional de mão. Ela se perdeu, ela estava nervosa. Mas passando isso, quando ela nos cativou com o que disse durante o discurso, começou a se emocionar. Então ela se recompôs. Ela não se permite que nós a vejamos fragilizada. Ela seria mais poderosa ainda se permitisse que as pessoas a vissem de um ponto de vista mais vulnerável. Eu entendo perfeitamente o que ela faz. Eu não quero mostrar vulnerabilidade. E eu gostaria que ela, a essa altura da carreira dela fizesse isso, se mostrasse mais vulnerável.

Michelle: Ela precisa fazer isso.

Ru: Ela não tem mais nada pra provar a ninguém. Ninguém na historia da humanidade pode mudar o que ela fez e tem feito. Ela é um gênio e um triunfo, um fenômeno na história das pessoas nesse planeta. Eu só acho que nesse ponto da carreira dela, poderia parecer mais vulnerável. Sabe, falar algo do tipo “gente, estou um pouco nervosa.”

Michelle: Ela não pode e não vai fazer isso. Com 58 anos, ela jamais vai baixar a guarda. Ela nunca vai permitir que as pessoas a vejam fragilizada.

Ru: Nem mesmo com a Cabala e com os exercícios de auto-conhecimento

Michelle: Não importa, ela jamais vai se mostrar vulnerável.

Ru: Mas voltando ao assunto, há algo que quero dizer sobre ser elegante em qualquer idade.

Michelle: Você acha que ela não é elegante?

Ru: Eu acho que postar fotos com a comida saindo de sua boca durante Thanks Giving é um pouco demais.

Michelle: Uma coisa pode se dizer sobre a Madonna: ela não se importa e não dá a minima para o que as pessoas pensam dela.

Ru: Isso é verdade, mas quando você têm pessoas envolvidas na sua vida, voce têm filhos… Não digo na forma de se vestir, mas você precisa se comportar de uma certa maneira. De uma forma elegante, e disso todos temos que concordar. Trata-se de uma forma de se comportar que não tem nada a ver com o que as pessoas acham de você, digo uma consciência do que você faz. Eu falei do microfone, do nervosismo, falo de algo que não é apenas relativo ao que você pensa e faz, mas que diz respeito a todo mundo que te cerca.

Michelle: Eu acho que ela não está nem aí. Ela não se importa e nunca se importou, ela não se preocupa se aparenta ter classe. Ela só se preocupa com o que ela quer fazer antes de qualquer coisa, e ela sempre deseja ser escandalosa. Sempre quer tocar na ferida das pessoas.

Ru: Eu não concordo. Eu acho que ela é cabeça dura e não quer dar o braço a torcer. Eu acho que ela nem tem como controlar esse efeito nas pessoas.

Michelle: Pode ser baseado em medo de certas coisas.

Ru: Eu acho que é o caso.

Michelle: Ela tem pavor de não ser a Madonna que ela era há 30 anos. E ela não é. Ela tem medo de perder o título de maior popstar de todos os tempos. Mas será sempre, ela e Michael Jackson, de todos os tempos, para todas as gerações. Existem outros popstars maravilhosos, não me leve a mal. Mas ela foi e sempre será a Rainha do Pop.

Ru: Sim e nada pode mudar isso.

Michelle: E acho que ela tem medo de se não continuar provocando as pessoas, que isso vai ser tirado dela. É assim que eu penso.

Ru: Eu penso o mesmo, é exatamente como a história de ’Sunset Boulevard’ – a moral da historia é que nada vai mudar o que ela fez no decorrer de sua carreira.

Michelle: Como chegamos a esse assunto? Ah sim, o discurso foi incrível. Se você ainda não ouviu ou viu, por favor, veja. Foi brilhante o que ela disse sobre as mulheres e idadismo em Hollywood e na indústria do entretenimento. Palavras incríveis, ditas pela Rainha.

Agradecimentos a Fernando S. pela tradução.

Não viu ainda o discurso que Madonna fez? Clique já aqui!

rupaul-michellevisage