Madonna é estrela dos 150 anos da Harper’s Bazaar com ensaio exclusivo

A revista Harper’s BAzaar comemora 150 anos e tem ninguém menos que Madonna n capa com um ensaio exclusivo feito pela dupla Luigi e Iango. Há uma entrevista e ela revela que vai mesmo dirigir um novo filme, LOVED. (confira)

São quatro capas diferentes:

madonna-harpers12 madonna-harpers2

madonna-harpers
gallery-1483654120-hbz-madonna-february-2017-07 gallery-1483654871-hbz-madonna-february-2017-08 gallery-1483655276-hbz-madonna-february-2017-04 gallery-1483655751-hbz-madonna-february-2017-06 gallery-1483653595-hbz-madonna-february-2017-05 gallery-1483653538-hbz-madonna-february-2017-09 hd-aspect-1483653257-hbz-madonna-february-2017-00-index gallery-1483653357-hbz-madonna-february-2017-02 gallery-1483653454-hbz-madonna-february-2017-0320170110-media-madonna-harpers-bazaar-instagram-01

madonna-harpers04

UPDATE 2: Além do ensaio fotográfico, há videos promocionais. Ela divulgou trechos em seu Instagram:

Harper’s Bazaar, do you believe in decadence, inhibition, narcissism? Then I got something to say about it and it goes little something like this:
“I contemplate beauty.
But What does it prove anyway?
For instance, if we are all born with sin and the ability to do good then to be beautiful is not to be good for we are all good and to be unattractive is not to be bad for we are all bad. I have come to find that beauty gilds humanity, Those who are beautiful have the gift of masking their insecurities, thus making them irresistible.”

Você acredita em decadência, inibição, narcisismo? Então eu tenho algo a dizer sobre isso e é mais ou menos assim:
“Eu contemplo a beleza.
O que isso prova de qualquer maneira?
Por exemplo, se todos nós nascemos do pecado e a capacidade de fazer o bem, então ser belo não é ser bom, pois todos somos bons e ser desinteressante não é ser mau, pois todos somos maus. Cheguei à conclusão que a beleza torna a humanidade atraente, Aqueles que são bonitos têm o dom de mascarar suas inseguranças, tornando-os irresistíveis.
TRANSCRIÇÃO E TRADUÇÃO, por Sergio Paiva