'Confessions On A Dance Floor' coloca Madonna em um novo nível em sua carreira. Tendo vendido milhões em poucas semanas de lançamento, Ela que aos 47 anos ainda deseja ser "A Rainha do Universo", conversou em Londres com Scott Murphy . Os dois falaram sobre novos projetos, família, filmes e, claro, o novo CD.

Leia abaixo a entrevista publicada na revista I-S de Singapura:


I-S: Que álbum legal, quando ouvimos pela primeira vez reconhecemos The Jacksons, obviamente Abba e Giorgio Moroder. Não sei se estou certo, mas você também pegou linhas das músicas dos Stooges e The Police. Essas são interpetações corretas sobre seu novo trabalho?
Madonna:Não. O sample do Abba é evidente. Eu conscientemente usei o sample da música deles, sobre Giorgio Moroder, existe realmente a base de 'Future Lovers' que foi retirada de uma música dele ('I Feel Love' by Donna Summer). O resto é inconsciente, se você prestar atenção, pode soar como algo que você já ouviu antes, mas não fizemos isso de propósito.

I-S: Você tem falado bastante de família atualmente. Como a música se encaixa nesse assunto? Ainda é excitante trabalhar nesse negócio como costumava ser no passado?

Madonna:Tenho que confessar que me diverti tanto fazendo esse novo disco como não me divertia há tempos. Acho que depende muito de com quem eu estou trabalhando. Eu acho que ter trabalhado tão duro na minha última turnê e ter sacrificado tanto do meu tempo editando o meu documentário 'I'm Going To Tell You A Secret' me inspirou a fazer alguma coisa diferente e não muito complicada.

Sendo direta, trabalhar com Stuart Price, que me faz rir toda hora, não me dá a sensação que estou de fato trabalhando em um novo projeto. Então, pra mim, trabalhar nesse disco não foi algo do gênero "Deus, eu tenho que fazer isso!!!" ou me forçar a fazer algo que não me sinta inspirada naquele momento. De fato, eu nem planejava fazer um disco novo, eu comecei a ir na casa do Stuart e pensei: "Bom vamos fazer umas experiências?" e isso se transformou em um CD inteiro!

I-S: Teve o rumor que você trabalhava em um CD de rock... Isso chegou a ser cogitado?
Madonna: Jamais trabalhei em algo do gênero. E também nunca cheguei a falar nada sobre isso. Desde que cai do cavalo, não toquei nunca mais violão, meus calos nos dedos murcharam e minhas unhas cresceram. A situação está péssima. (risos)

I-S: Você vai estar no filme do Luc Besson, 'Arthur'... Você vai ser a Princesa Selina...
Madonna:Você sabe tudo! Foi realmente muito divertido trabalhar nesse filme, eu adoro fazer vozinhas pra filmes dublados. Foi ótimo!

I-S: Por alguma razão, as pessoas sempre querem saber o que você acha das suas rivais mais novas como Britney e Kylie..
Madonna: Que todas louvem a Rainha (risos)

I-S: Boa resposta... Existem rumores que você vai começar sua nova tour no Japão no ano que vem...
Madonna:Não, não... vou começar em Hong Kong... (risos)

I-S: Você disse há muito tempo que gostaria de ir pra India... A China é um mercado gigantesco, o que existe de errado em ir pra lá?

Madonna: Muitos fans gritando, pedindo para que eu vá ao encontro deles?

I-S: E qual o problema?
Madonna: Eles realmente querem que eu vá para a China?

I-S: Definitivamente...
Madonna: Eu não sei, ninguém nunca me escreveu uma carta pedindo, você ouviu isso do mercado de shows?

I-S: Sim, ouvi alguém comentando o interesse... Existiria a possibilidade de levar um concerto inteiro?
Madonna: Se existir lucro financeiro que torne viável viajar para tão longe, não vejo problema algum. Precisamos de uma quantidade suficiente de datas marcadas que compense economicamente e também é preciso que os locais disponíveis para os shows atendam as especificações da estrutura dos meus concertos. Se tudo isso estiver OK, porque não?

I-S: Pelo bem de seus filhos, existe algo que você, por ser uma artista famosa, gostaria de fazer pelo mundo? Será que pode falar sobre isso sem soar 'Bono Vox'?
Madonna: Eu falo bastante disso no meu documentário, uma das coisas que eu aprendi e que procuro ensinar pros meus filhos, dançarinos e amigos é que não importa o quão famoso você é, você pode ter todo o dinheiro do mundo, todas essas coisas, mas se você não tiver compaixão pelo seu semelhante e de alguma forma, tentar mudar o mundo ao redor de você, tudo isso não vale nada. Esse é o primeiro passo que devemos fazer para transformar e mudar o mundo para um lugar melhor, você pode salvar as florestas tropicais, mas se não procurar mudar a você mesmo e tentar melhorar como pessoa, isso não vai adiantar nada.