O produtor Stuart Price fala mais curiosidades em torno do novo álbum Confesions on a Dance floor em nova entrevista:

"Stuart Price sempre foi brilhante. E agora é brilhante como o produtor do melhor de todos os álbuns da Madonna, que por um acaso também é o seu melhor álbum pop desde de 1980. Ela o fez na casa dele, você sabia?"

Stuart, para chegar na base do processo criativo que deu a vida a 'Confessions On A Dancefloor', nós precisamos saber uma coisa: a Madge limpa a sujeira que faz ao derramar um xícara de chá?
Ela é a hóspede perfeita, mas derramou café no meu tapete branco. Fiquei impressionado como ela conseguiu tirar a mancha usando só uma toalha de cozinha. A técnica que ela usou foi não esfregar, apenas apalpou o tapete gentilmente com a toalha.

Madge, não é uma 'esfregadora'
Não, ela é mais do tipo 'apalpadora'.

Agora que sabemos como é quando você está trabalhando até tarde. Madonna passou alguma noite no seu apartamento?
Não tem espaço! Meu apartamento consiste basicamente de um sofá, uma mesa de mixagem, um computador da Apple, o máximo teclados da melhor 'safra' que eu consegui colocar num cômodo, uma chaleira e uma escova de dentes.

Não é o mesmo apartamento que nós estivémos há uns 4 anos, é?
É esse mesmo!

Nos últimos 4 anos, estamos sendo praguejados por ter enclinado demais uma das suas poltronas reclináveis e quebrado o encosto. Naquela dia você foi muito educado. Você disfarçou a sua fúria?
Bem, preciso confessar - ela já tava meio quebrada, e foi consertada no quebra-galho. Então não foram vocês que quebraram a poltrona, só estragaram o conserto quebra-galho. Pode me comprar outra se quiser.

No estágio em que estamos, em nossas respectivas carreiras parece que você tem mais condições de comprar uma bela poltrona reclinável do que nós, Stuart.
Ah! Tá!

Você ainda tem a cadeira?
Na verdade, a Madonna gravou sentada na poltrona que vocês quebraram. Mas agora sem aquela parte de plástico e não relina mais. Suponho que quebrando aquela parte, vocês indiretamente influenciaram no vocal do álbum.

Vamos falar de música. Os duas referências do Pet Shop Boys no album sáo fantásticas. Você idolatra e ama os Boys?
Sim. Quero dizer, quem pode não amar os Pet Shop Boys? É isso aí. Eles foram os primeiros pops que ouvi na vida. Todo aquele rítmo, como conseguiram tirar aqueles sons. Acho que não é surpreendente que 15 anos mais tarde, apareça no álbum. Eu não vou tentar disfarçar, eles são uma grande influência.

Então é justo dizer que Madonna não estaria onde está hoje sem os Pet Shop Boys?
Ela também os ama. Porque eles trabalharam com Bobby Orlando em Nova Ioque e suponho que ela esteve por lá na mesma época. Engraçado quando nós estávamos fazendo 'Jump' não pensei que ela soubesse quem eles eram, mas foi ela que gritou 'Pet Shop Boys! Putz, eu amo esses caras!

Não tinha um jeito de ter feito o 'Hung Up' um pouco mais gay do que já é?
Tem um monte de gente falando isso. Eu não sei, pra mim não soa tão gay. Será que é o 'sample' do Abba que faz isso? Tem um tanto de 'andar pomposo' não tem? Quando você põe pra tocar, seus quadris começam a... Bem, e ia falar movimentos estranhos, mas infelizmente são movimentos naturais, não são?Não sei como poderíamos ter 'salpicado' mais glitter nesta faixa.

Se você tivésse trabalhado num novo álbum da Dannii Minogue, qual seria a diferença com o 'Confessions'?
Difícil dizer sem saber como a Dannii trabalha, mas tem uma coisa, você não produz a Madonna, você colabora com ela. Ela é realmente uma boa produtora e obviamente uma grande compositora também. Não quero menosprezar a Danni ou dizer que não se pode esperar que ela seja tão criativa quanto a Madonna, porque talvez ela seja. Mas eu nunca trabalhei com ninguém que fosse tão genuína e tão mão-na-massa como a Madonna. Ela tem sua própria visão e sabe como chegar lá, mas ao mesmo tempo é a primeira pessoa a dizer 'Não consigo fazer discos sem meus colaboradores.' E o que é interessante com este álbum é que ela pegou um DJ para fazer melodias dance, para ela fazer as músicas, e é exatamente o que ela tem feito desde 1983 - 'passeando' com DJs e fazendo discos.

Pode-se dizer que o último álbum da Madge foi meio que um 'limpador de pista de dança', apesar de ser considerado o melhor álbum de todos os tempos.
Concordo plenamente, acho que se tivésse sido feito por qualquer outro que não a Madonna teria sido mais um álbum de veneração porque toda a trilha sonora/composição é tão boa e é um disco tão provocante. O negócio é o seguinte, quando as pessoas pensam na Madonna eles pensam nos discos que ela costumava fazer - eles têm uma certa voz na cabeça e meio que querem isso dela. Todos querem que a Madonna seja o máximo, legal, forte e divertida. Isto é o que eles querem que ela faça e é por isso que eles se envolvem tanto quando ela faz.O problema é que ela é entusiamada e intelectual demais para ficar fazendo só um tipo de música a carreira toda. Com 'American Life', ela tipo que mostrou como estava rolando naquele tempo - e com este disco ela foi mais do tipo 'foda-se', vamos fazer um disco e nos divertir.