Madonna concedeu uma entrevista exclusiva à revista americana OK e revelou mais algumas curiosidades:

Não entendendo Madonna
Estou sempre me defendendo do que chamo de 'ruídos na comunicação'. Quase sempre as pessoas não atentam ao contexto geral de certas coisas que eu digo, e acabam por se pegar nos detalhes. Eu sou obrigada a explicar uma única frase que apontam no meio de um raciocínio completo. Tenho que passar uma entrevista inteira explicando que "não disse isso" ou "aquilo não é verdade".

Tempo livre
Eu não tenho muito tempo livre mas quando surge, passo com meus filhos. E fazemos coisas normais, como andar de bicileta, skate, ver um filminho, comer besteira, ver minha filha montar a cavalo. É... o tempo mudou mas é tudo lindo, maravilhoso.

Sair para balada
Semana passada eu fui à um club, dancei com meus amigos e foi muito divertido. Eu faço isso de vez em quando. Quando estou em turnê sempre vou aos clubs com os meus dançarinos. Eu não sáio tanto quanto eu costumava sair... Quem tem um tempo livre sempre? Quem pode se dar ao luxo de ficar acordado a noite inteira???

O mais recente álbum
Estou pasma que as pessoas estão curtindo as músicas. Eu sinto que meu entusiasmo e alegria estão ligadas às pessoas e isso é ótimo. Eu toco o álbum quando vou para a academia ou quando vou correr, fazer yoga.

Por que um álbum dance?
Porque não? Eu tenho feito músicas há 20 anos e a 'dance music' foi onde minha vida começou. Meu primeiro amor foi a 'dance music' e eu queria voltar nisso.

Achando inspiração
Tem a ver com prestar atenção. Por exemplo, eu vi o filme 'Rize' de David LaChapelle e havia incríveis dançarinos ali. Fui atrás para saber quem eram e os coloquei em meus clipes (Hung Up/Sorry). Eu tenho uma fome e uma curiosidade insaciável por buscar coisas novas. Inevitavelmente, essas coisas novas acabam se encaixando no meu trabalho. Acho que é o que todos nós fazemos como artistas e pessoas criativas que somos. Somos todos plagiadores!

Voltar no tempo
Eu não ouço meus álbuns antigos mas muitas de minhas músicas e letras são parte de meu inconsciente. Elas sempre voltam a minha cabeça sem eu ao menos pensar nelas.

O produtor Stuart Price
Nos conhecemos faz 5 anos agora e acho que trabalhando juntos em diversas coisas nos ajuda a ser mais familiar um com o outro. No começo havia um pouco de intimidação e Stuart ficava muito tenso. Escrever músicas com outras pessoas é muito pessoal, você têm que se sentir confortável seja você famoso ou não. Já ficamos muitas horas em estúdio juntos. Com toda sinceridade, eu fico nervosa também em seu estúdio porque quando você escreve a letra e canta para alguém pela primeira vez é algo muito tenso. Você imagina que quem ouve está odiando, achando que a letra é uma bosta, que a melodia não presta. Você precisa se fazer vulnerável.

'Hung Up' - a canção
'Hung Up' surgiu quando Stuart me mostrou uma versão demo, só o instrumental, há mais ou menos 1 ano atrás. Ele perguntou o que eu achava. Ouvi o sample do ABBA e amei!! Colocava no carro para tocar e ficava andando pela cidade. Eu disse que havia amado e que precisávamos finalizar a canção. Escrevi a letra em aproximadamente 10 minutos!

'Hung up' - o clipe
A inspiração surgiu do filme "Embalos de Sábado à Noite". Eu espero que tenha encarnado o John Travolta. Eu assisti o filme umas 20 vezes junto com o Jamie King, meu coreógrafo e Johan Renck, o diretor do clipe, e queríamos criar uma atmosfera onde todos ficassem envolvidos pela 'dance music'.

Dominar o mercado Dance
Eu não estou reivindicando a posse de nenhum território. Estou apenas fazendo um tipo de música que amo fazer. Eu não comecei com isso. A banda 'Chic' começou, 'Donna Summer' começou. Não eu. Não quero os créditos.

Antes de ser famosa
Perdi a liberdade de ir sozinha aos clubs, andar para a pista de dança e dançar por aí sem ninguém ficar me incomodando e observando.

Família
Meus filhos amam todas as coisas que eu faço, eles amam 'dance music'. Por outro lado, meu marido não é muito fã desse tipo de música. Ele gosta de algumas canções mas não todas.

Começar uma filosofia
Vivemos em uma sociedade que dá valor à fama e fortuna. No final das contas, essas coisas valem a pena? Vai importar saber quantos discos eu vendi? Ou quantas vezes tive sucessos "números 1"? Ou quão bonita ou feia eu era? Ou quão popular? Essas coisas realmente importam? Penso que muitas pessoas fazem essas perguntas.

E Valeu a Pena?
Eu penso que muita gente que está em evidência sempre é julgada pelo público, está correndo riscos, têm altos e baixos. Todos devem se perguntar: "O que eu estou fazendo e quão isso é importante para mim?", pois você faz muitos sacrifícios durante sua carreira vida.

Meu Próximo passo
Eu apenas quero fazer mais o que faço e cada vez melhor. Não há nada mais o que quero conseguir. Eu posso fazer um novo álbum 'dance' mas não gosto de me repetir. Talvez eu faça um álbum de baladas ou talvez escreva um musical ou diriga e faça todas as músicas de um filme. Tudo é possível!

Meu Estilo
Me considero uma camaleoa. Posso estar como Olivia Newton-John ou ter um olhar Farrah Fawcett, tudo depende. Tudo é uma mudança e evolução. Nunca me vi em um estilo determinado. Qualquer dos looks que uso é apenas um dos meus lados. Quando estou em minha casa de campo, não visto um belo vestidão de chiffon com bolinhas brancas. Quando você imagina que conseguiu me catalogar, eu vou querer te surpreender. Há muitos lados em minha personalidade - sempre houve e sempre haverá.