Dateline out/2006: Adoção de David

Confira aqui no MadonnaOnline a entrevista cedida por Madonna para falar da adoção de seu filho David no programa Dateline do canal NBC.

 

Meredith Vieira, NBC News: Você podia imaginar que aconteceria quando decidiu adotar uma criança?
Madonna: Absolutamente não. Claro que eu estava esperando as pessoas serem cínicas a esse respeito. "Ah ela só está fazendo isso pra ganhar atenção". Quando engravidei da minha filha, também me acusaram de forjar um golpe de marketing. Eu já esperava por isso. Não esperava ser acusada de seqüestro e de estar burlando leis e fazendo algo ilegal. Não esperava ser desmoralizada pela mídia

Vieira: Você tem sido massacrada....
Madonna: Uh-huh

Vieira: O que você acha disso?
Madonna: Bom, eu tenho minhas teorias e você certamente deve ter as suas...

Vieira: Sinceramente eu não sei.
Madonna: Com tanto caos e sofrimento no mundo... Para mim o fato de a adoção de uma criança de 1 ano que estava confinada em um orfanato ter sido a história número 1 no mundo mostra a falta de habilidade que as pessoas têm em focar um problema real. Eu digo, as pessoas preferem se distrair com coisas banais e fazer fofoca.


Ela fala dos problemas como fome, AIDS e epideminas no solo africano, o motivo que levou Madonna ao Malauí. No começo do ano ela criou a fundação Raising Malawi, uma iniciativa em prol dos orfãos africanos.


Madonna: Quando cheguei na Africa eu chorava copiosamente todos os dias...

Vieira: Você chegou a imaginar o que veria?
Madonna: Eu sabia sobre a situação, você sabe, o que acontece por lá. Mas você realmente não faz idéia do que seja até desembarcar no lugar, digo, crianças deitadas no chão, perto de uma poça de urina com moscas voando ao redor de suas cabeças, vagando famintas. Mulheres sentadas em frente de suas chopanas com o corpo repleto de feridas.


O interesse de Madonna pela Africa surgiu no mesmo tempo em que começou a pensar em adotar uma criança.

Vieira: Quando você e seu marido resolveram adotar uma criança?
Madonna: Temos falado sobre o assunto por dois anos. Decidimos fazer isso quando no ano passado eu disse 'Ok. vamos lá'. Eu tenho uma vida incrível, sou abençoada com tantas coisas boas. Eu quero dar oportunidade a uma criança que não teve oportunidades. Eu quero uma criança que ninguém mais queira. Quando eu comecei a fundação eu pensei. Bom, em Malauí tem 1 milhão de orfãos, por que eu não vou lá diretamente?


Madonna e o marido, Guy Ritchie, foram ao Malauí em Abril para produzir um documentário. Foi nesse momento que Madonna viu pela primeira vez um bebê chamado 'David'.


Madonna: Eu fiquei dizendo, "Quem é aquele menininho? Quem é ele?" Eu fiquei fascinada com o rosto dele, tinha algo nele que não conseguia explicar. Tinha algo nos seus olhos. Ele parecia saudável. Quando fui finalmente o conhecer no orfanato ele estava com mais de 40 graus de febre e mal conseguia respirar.

Vieira: Não tomavam conta dele como deveriam, obviamente.
Madonna: Eu fiquei completamente tomada pela idéia de ajudá-lo... independente de ele ser meu filho adotivo ou não.

Vieira: Você sabia algo a respeito dele?
Madonna: Eu ouvi dizerem que não sabiam o paradeiro do pai.

Vieira: Eu quero falar sobre o pai desse menino por um instante. Me disseram que não era sabido o paradeiro do pai dessa criança.
Madonna: Yeah.

Vieira: Era o que você sabia?
Madonna: Yeah.

Vieira: Que ele não queria?
Madonna: Que ele não queria o bebê e que ele não tinha nada a ver com a criança.

Vieira: Foi dito que David Banda, um lavrador, havia deixado o filho no orfanato após a morte de sua mulher.
Madonna: Eu disse "Isso significa que posso adotar uma criança mesmo com seu pai estando vivo?" E eles me responderam que eu poderia fazer isso contanto que tivesse uma permissão escrita. Mesmo assim eu estava desconfiada com essa história, tipo "Não quero tomar o filho de ninguém". Foi isso que eu pensei.

Vieira: Durante todo o processo, alguma vez você chegou a pensar "Bom eu tenho meios de ajudar o pai do David, aquele pobre lavrador" Quero dizer, ele é o pai do David.. Reunir David com o pai...
Madonna: Você está absolutamente certa. E eu ofereci ajuda quando o encontrei no tribunal. Eu disse que poderia ajudá-lo a trazer a criança de volta ao vilarejo e ajudá-lo financeiramente. Ele disse que não queria minha ajuda. Eu realmente não entendi aquela decisão.


Madonna conheceu o pai de David no tribual quando a adoção foi contestada pelos grupo de direitos humanos locais. Adoção Internacional no Malauí é uma coisa extremamente rara de acontecer e um processo totalmente sem regras.


Vieira: Grupos de direitos humanos no Malauí foram extremamente duros com você. Existem grupos por lá que realmente não querem que essa adoção aconteça...
Madonna: Se todos esses grupos estivessem indo aos orfanatos oferecendo ajuda para aquelas crianças, eles teriam todo o direito de fazer esse barulho. Eles não fazem nada. Eles não estão oferecendo uma solução.

Vieira: Eles falam bastante que você violou as leis de adoção de lá. Que você usou o poder de seu dinheiro.....
Madonna: Isso não é verdade. Eu não violei leis. Todo o processo foi julgado nos tribunais.


Madonna acredita que muito dessa polêmica se deve por causa da cor da pele de David.


Madonna: Acredito que ainda existe um tabú. Eu já ouvi algumas pessoas me perguntando o motivo de eu ter decidido adotar uma criança negra. Eu simplesmente não me dou ao direito de responder essa questão. Existe muito racismo nessa situação. Acredito que no fundo as pessoas se incomodam por eu ter adotado David. As pessoas se incomodam com o fato de eu ter adotado uma criança africana, uma criança com a cor da pele diferente da minha

Vieira: Você acha que isso incomodou as pessoas?
Madonna: Eu acredito que realmente exista um aspecto disso. Acho que ainda é considerado um tabú. Tenho ouvido comentário das pessoas enquanto estou andando nas ruas "Por que você adotou uma criança negra?". Eu não respondo...

Vieira: Eles se dirigem a você e falam isso?
Madonna: Sim, definitivamente.

Vieira: E o que você diz?
Madonna: Nada, simplesmente não dou a eles o direito de terem uma resposta minha.

Vieira: Você realmente acha que fez as coisas do jeito certo e que essas críticas não são justas?
Madonna: Absolutamente não são justas.

Vieira: Tem certeza?
Madonna: Todas as críticas são na verdade uma benção disfarçada. Agora as pessoas sabem o que acontece em Malauí, agora as pessoas sabem sobre os orfãos de lá. As coisas vão mudar, você sabe, o negativo vai se tornar positivo.


Durante os próximos 18 meses, Madonna e Guy Ritchie vão receber visitas de assistentes sociais que irão assegurar que David está sendo bem tratado e que eles são pais responsáveis.


Vieira: Se você soubesse o que aconteceria, ainda assim iria tentar sua sorte ao adotar em Malauí?
Madonna: Boa pergunta. Eu não sei, se você tivesse perguntado há uma semana, quando eu estava no auge de minha depressão e me sentindo triste por causa do estado do mundo atual e quão negativas as pessoas eram, eu provavelmente teria dito "não", mas hoje eu diria "sim".


É mostrado cenas do pai de David, Yohane Banda, falando com jornalistas.

Yohane Banda (com ajuda de um tradutor): Ela me pareceu muito muito amigável e pelo que pude ver ela é o tipo de pessoa que poderia realmente tomar conta de meu filho. Eu tive uma boa impressão por parte dela.

Dateline: Você entendeu que dificilmente seu filho retornaria ao Malauí?
Banda: Sim.

Dateline: Você ficou triste ao vê-lo partir?
Banda: Não. Eu não estava triste de forma alguma. Estava muito feliz com o desenrolar das coisas.

O pai de David contou ainda que Madonna prometeu que traria a criança de volta para visitá-lo.

Meredith Vieira: Você prometeu que voltaria dentro de 3 ou 4 anos com David?
Madonna: Oh bem, eu espero poder voltar para visitar todos os anos. Eu tenho muitos projetos e coisas acontecendo por lá. Eu acredito que ele vai comigo com uma certa freqüência.

Vieira: Você quer que David conheça seu pai biológico?
Madonna: Eu acredito que a maioria das crianças adotadas querem conhecer seus pais biológicos. Eu acho que essa é uma jornada importante na vida de uma criança adotada. David agora está começando uma nova vida com sua nova família em sua nova casa.

Vieira: E agora David está em casa...
Madonna: Yeah. Yeah.

Vieira: Como está sendo?
Madonna: Bom, está sendo como viver com uma criança de 1 ano, você sabe...Quando ele chegou, eu estava chocada em como ele era calmo e fácil de lidar. No começo nada parecia aborrecê-lo. Pensava "Poxa, essa é a criança perfeita." Mas três semanas se passaram e agora ele está começando a mostrar sua personalidade. Ele está começando a fazer manhas, não quer comer mesmo estando com fome. Ele não quer colo de certas pessoas...

Vieira: Como você descreveria a personalidade dele?
Madonna: Ele tem um temperamento forte. Ele adora flertar e é engraçadíssimo.

Vieira: Você está falando de você?
Madonna: Um... Eu realmente tenho um temperamento forte... (risos).


Madonna diz que sente afeição por David, pois, assim como ela, ele jamais vai conhecer a vida com um mãe de verdade.


Vieira: Você ficou orfã de mãe ainda quando era uma criança pequena. David jamais vai conhecer sua mãe verdadeira. Isso já passou pela sua cabeça? O que você pensa a respeito disso?
Madonna: Claro, eu espero um dia ter informações sobre ela e talvez conseguir fotos dela. Eu espero ser a mãe que não tive para David assim como desejo a mesma coisa para meus outros filhos.


Tal mãe, tal filho. Apenas 3 semanas fora de seu país natal, e o pequeno David já ostenta o acessório favorito de sua mãe - o bracelete vermelho da símbolo da Kabbalah.


Vieira: David, nasceu cristão. Ele vai se criar cristão?
Madonna: Ele só tem 13 meses e ainda é muito novinho para ser introduzido a uma crença. Se David quiser ser cristão, que o seja então...

Vieira: Mas ele já usa o bracelete vermelho - Red String - da Kabbalah...
Madonna: Sim, ele usa. Eu estudo a Kabbalah e acredito em Jesus. Não vejo porque ele não pode fazer o mesmo...

Vieira: Eles criticam você. Madonna estuda a Kabbalah.
Madonna: Sim, as pessoas não entendem.

Vieira: O que as pessoas não entendem, em sua opinião?
Madonna: Eles não entendem o que é a Kabbalah e tiram suas conclusões precipitadas. Para mim, estudar a Kabbalah é estudar, fazer perguntas. Eu encorajo meus filhos a fazerem o mesmo. Eu acho que as pessoas não entendem isso direito. Eles fazem julgamentos a esse respeito.

Vieira: Você e Guy estão prestes a comemorar 6 anos de casados? Estou certa?
Madonna: Uh-huh (afirmando).

Vieira: E as pessoas disseram que não duraria. (risos)
Madonna: Certo.

Vieira: Como você está fazendo as coisas funcionarem?
Madonna: Bom, não tem sido fácil. Estar casada e ter filhos não é apenas uma questão de quem você é. Fazer essas coisas funcionarem é quase um desafio. As vezes você deixa a peteca cair...

Vieira: Você lembra a última vez que deixou a peteca cair?
Madonna: Claro! Quero dizer, quando eu estava em turnê meu foco era fazer meu show todas as noites. Meus dias de folga não eram exatamente dias de folga, eu tinha que ser mãe e esposa. As vezes eu pensava que queria dar um tempo nos meus filhos e correr para receber uma sessão de massagem. Você me entende? Eu quero ser egoísta agora...

Vieira: Eles fazem cobranças?
Madonna: Sim, definitivamente, especialmente minha filha mais velha.

Vieira: O que ela diz?
Madonna: Oh coisas do tipo "ah eu não aguento mais isso e não vejo a hora que isso termine para que a gente tenha você de volta". E meu filho pergunta quanto tempo ainda a turnê vai durar. Quando a gente vai voltar pra casa.

Vieira: Bom você poderia realmente estar em casa. Você já ganhou o dinheiro que precisava para o resto de sua vida...
Madonna: Uh-huh (afirmando).

Vieira: Você tem uma vida boa.
Madonna: Uh-huh (afirmando). Bom, obviamente eu ainda tenho coisas para dizer e conquistar. Ficar em casa somente tomando conta de meus filhos e sendo esposa não é o que quero para minha vida. Eu quero mais que isso. Se você quer afetar e fazer mudanças no mundo, você precisa ser a plataforma que as pessoas se apoiam. Você tem que continuar fazendo seu trabalho. Então eu acredito que é por isso que ainda estou por aqui...

Vieira: E as pessoas ainda estão atrás de você. O Vaticano te criticou chamando a crucificação de 'extremo mau gosto, causando polêmica fazendo blasfêmias'. Outros disseram que era um golpe de marketing. Eu digo, você sabia que isso causaria polêmicas.
Madonna: Oh, absolutamente

Vieira: Certamente.
Madonna: E tudo o que disseram estava certo, quero dizer, meu show inteiro era um golpe de marketing. Vamos encarar isso. Eu estou fazendo turnê para vender discos, isso é óbvio, e também para dar minha opinião sobre as coisas, sobre o que penso.

Vieira: Mas você consegue entender o que as pessoas sentiram? Você cruzou uma linha quando usou o crucifixo...
Madonna: Eu acho que as linhas estão aí para serem cruzadas. O tempo inteiro em que eu estava cantando pendurada na cruz existiam números girando em cima da minha cabeça. Quero dizer, começava em 1 e terminava em 12 milhões. 12 milhões por causa do número de orfãos de AIDS na África. Basicamente eu estava pregando os ensinamentos de Jesus. Eu estava dizendo "Prestem atenção, temos uma responsabilidade aqui, tomem conta dessas pessoas." Claro que estava sendo provocadora, claro que sabia que usar um símbolo daqueles atrairia atenção. Eu acho que aquele é um problema que merece atenção.

Vieira: Então era importante botar o crucifixo no show?
Madonna: Yeah.


Mas, no dia 22 de Novembro a NBC vai transmitir a 'Confessions Tour' sem os números mais polêmicos.


Vieira: Por que você aprovou isso? Parecia ser tão importante pra você...
Madonna: Meu objetivo era falar da epidemia de AIDS na África e claro, acordar as pessoas. Queria falar também sobre minha fundação 'Raising Malawi'. Se eu dissesse que não queria mudar nada e deixar a cena, o show não seria transmitido, no entanto, se eu escapasse aquelas partes, teria meu show transmitido em rede nacional. Eu ainda estou dando minha opinião sobre esse assunto, estou conversando sobre meu show com você...


E é justamente sobre 'usar a cabeça' que fala o novo livro infantil de Madonna "The English Roses: Too Good To Be True." Ela deixou 128 cópias do livro em um orfanato de Malauí e leu o livro para um grupo de crianças em Nova York essa semana. Madonna dedicou o livro aos orfãos de Malaui, e toda a renda vai ser revertida para a fundação Raising Malawi.


Vieira: E pra você? Todas aquelas lições que você que passar por várias e várias vezes. Você finalmente aprendeu alguma coisa?
Madonna: Acho que sim, digo, aprendi muito (risos). Eu tenho uma reputação de ser polêmica. Eu pensei, bom, eu tenho que dar um tempero nas coisas, acordar as pessoas, ser contra o que é pre-estabelecido. Aprendi que é perda de tempo provocar somente pelo fato de ser provocadora. Eu acho que no fundo, você tem que ter uma coisa pra ensinar e algo para passar para as pessoas.


Vieira: Eu acho que quando você passou parte da vida provocando por provocar, as pessoas agora pensam que você está apenas repetindo aquilo de novo...
Madonna: Isso

Vieira: Eles não te levam a sério em um certo ponto.
Madonna: Oh eles vão ter que me levar. (risadas)

Vieira: Do contrário?
Madonna: Bom, eu não vou parar de fazer o que faço. Do contrário as pessoas têm que parar de prestar atenção no que faço, assim eu vou finalmente poder salvar a vida das pessoas sem as pessoas falarem besteiras a meu respeito. .

Há duas décadas, Madonna declarou que queria dominar o mundo, hoje, ela diz querer mudá-lo, nem que seja uma criança de cada vez.

Madonna: Eu não diria que quero dominar o mundo novamente. Eu quero fazer minha parte para transformar o mundo em um lguar melhor. Eu quero inspirar as pessoas e ajudar a trazer soluções.