usa today

O site do programa USA Today publicou uma entrevista exclusiva com Madonna onde ela fala um pouco mais sobre "Hard Candy" e outros assuntos relacionados a sua vida e carreira.

Em uma das partes mais interessantes, Madonna com classe diz que acha indelicado comentar sobre alfinetadas de Sharon Osbourne e responde que não se interessa pelo que ela diz ou deixou de dizer.

Abaixo, a tradução:

Por quê todos esses produtores famosos?
Eu sou apaixonada pelos discos deles e eles trazem o que há de melhor nas pessoas com quem eles trabalham. Eu achei que poderiamos brincar com os pontos-fortes uns dos outros, por isso decidi trabalhar com cantores, compositores e produtores que também são artistas e ver qual seria o resultado final de tudo.

Vocês se deram bem logo de cara?
Não. Eu acho que você nunca consegue uma sintonia imediata. Eu sempre os encontrava em festas, eventos ou premiações o que é completamente diferente de quando você senta e tem a missão de escrever uma música. Você está se colocando em uma posição vulnerável. Será que vão achar minhas idéias idiotas? Posso falar de tudo sem ter medo de magoar os sentimentos de ninguém? Essa é uma situação esquisita. Eles foram gentis e muito profissionais comigo.

O que inspirou o fervor e a urgência que podemos ouvir em "Hard Candy"?
Não podemos nos dar ao luxo de pensar que vai ter alguém que vai tomar conta dos nossos problemas pra gente. Obviamente eu estou focada no mundo ao meu redor e tomando responsabilidade sobre meus atos há alguns anos. "Candy" fala também sobre as surpresas da vida, confiança e frustrações, é sobre descobrir que as pessoas que julguei como amigos não são de fato meus amigos. É sobre ser flexível e não estar preso a qualquer idéia pré-concebida e não se concentrar ao lado literal das coisas.

She's Not Me pode ser considerada uma resposta as cantoras que querem ser "A Nova Madonna"?
Eu não estava pensando nisso quando escrevi a música. Eu fico muito feliz em saber que tudo o que fiz e conquistei inspira outras mulheres ou dá a elas de alguma forma um senso de que elas são as donas de seus destinos. Eu não acho que ninguém está tentando ser eu. A música é o hino denfinitivo da dor de cotovelo, uma espécie de seqüencia para I Will Survive, talvez um pouco mais irada.

Seu trabalho te separa freqüentemente de Guy Ritchie e me parece que você fala com tristeza sobre essa assunto em Miles Away...
Este é o lado ruim no relacionamento entre dois artistas. Nós temos que fazer sacrifícios e existe sempre um efeito colateral. A música fala sobe relacionamentos a longa distância de uma forma geral. Depois que terminei de escrever a música e mostrei para as pessoas que estavam no estúdio, todos foram unânimes em afirmar que eles se identificavam com as letras.

Estar na mídia é menos importante na sua vida já que as câmeras agora estão de olho na sua família?
A atenção em torno da adoção me aborreceu pois acabou chegando nos ouvidos dos meus filhos e foi difícil para mim entender o motivo que levou a opinião pública a se voltar contra mim quando eu estava querendo apenas salvar a vida de alguém. Nós temos em minha casa a idéia básica de que nem sempre jornais e revistas publicam notícias verdadeiras.

Qual sua reação sobre Britney Spears, que tem a vida sob a lente de um microscópio durante os últimos meses?
Eu tenho compaixão e solidariedade e as pessoas estão se divertindo com o sofrimento dela. Eu não concordo com isso e esse assunto me deixa triste.

Você completa 50 anos em agosto, algum plano para celebrar essa data tão importante?
Eu adoro aniversários. Você ganha uma festa e as pessoas te dão presentes. Eu não acho que este ano vai ser mais importante do que o ano passado.

Notícias continuam surgindo e relatam que você fez cirurgia plástica. Sharon Osbourne, muito indelicadamente disse que entrou em choque ao ver sua nova cabeça. Você gostaria de dar uma resposta a ela?
Eu não acho digno falar sobre o comentário de uma terceira pessoa. Eu não me importo com o que ela disse ou deixou de dizer.

Sendo alguém antenada e que dita tendências musicais, você acha que a boa música consegue ser ouvida?
Não necessariamente. Se uma sirene de um carro de bombeiros está fazendo barulho no meu ouvido eu não vou poder ouvir o fantástico e delicado solo de bandolim ao meu lado. A vida gira em torno de gratificações instantâneas e coisas passageiras. Quem está oferencendo algo fino e delicado não vai causar impacto. Nós vivemos em um mundo repleto de distrações.

Você acha que sua entrada para o Rock and Roll Hall foi um pouco prematura?
Mais ou menos. E eu acho que ainda tenho muito o que fazer e não quero estar em um museu. Eu refleti a esse respeito e conclui que trata-se do reconhecimento do trabalho que tenho feito. As imagens que eles mostraram eram predominantemente dos primeiros 10 anos da minha carreira para mim isso me parece séculos atrás. Eu ja passei por milhões de revoluções evoluções desde aquela época.