Entrevistas com Christopher Ciccone

Com o impacto do lançamento do "Life With My Sister Madonna" diminuindo, além dos boatos de divórcio e adultério terem praticamente desaparecido, a mídia agora concentra-se na proximidade do aniversário de 50 anos de Madonna e do lançamento da "Sticky & Sweet" tour , no dia 23.

Mesmo assim, Christopher Ciccone continua requisidadíssimo na imprensa e contratou inclusive uma assessoria de imprensa para dar conta de sua nova carreira como autor e como canditado a estrela de reality show.

Sendo assim, duas revistas britânicas, Now e OK!, estampam em suas últimas edições entrevistas com o irmão mais odiado de Madonna.

A grande curiosidade fica por conta da relação de amor e ódio de Chris com a irmã. Por vezes ele parece disposto a eliminar Madonna da face da Terra e parece ter profundos sentimentos de ressentimento e rancor com a carreira e sucesso dela, outras vezes Chris defende a irmã com unhas e dentes e faz elogios honrosos a sua disciplina e quilate como artista.

As contradições não páram por aí: Chris, que por diversas vezes diz ter um relacionamento 'inexistente' com Madonna, agora insiste que ambos trocam emails e que ele teria inclusive teria recusado atender uma ligação dela. Em outras passagens ele diz que espera que ambos voltem a se falar.

Esquizofrenia?

Terminamos de ler o livro, e pode-se dizer que Christopher Ciccone é uma pessoa ressentida e amargurada, principalmente com o fato de que, realmente Madonna é a filha favorita de Sylivo Ciccone.

Apesar de pegar pesado em algumas partes e deixar o leitor com uma pulga atrás da orelha com relação ao caráter de Madonna como pessoa, realmente não fala nada que os fãs já não saibam. Caso você esteja interessado em ler, as partes mais interessantes revelam os bastidores e as histórias por trás dos momentos mais marcantes da carreira de Madonna. É interessante saber das histórias através de outro ponto de vista, de alguém que esteve presente desde o começo, até os dias de glória.

Acompanhe abaixo a tradução das entrevistas com exclusividade.
Christopher, qual foi a reação de Madonna com relação ao seu livro?
Ela não se manifestou a respeito e conhecendo minha irmã, acho que ela vai se manter em silêncio a não fazer comentários. A equipe dela também não se pronunciou oficialmente. Meu pai me disse que ela ficou bastante chateada. Eu conheço pessoas que ligaram para Guy Ritchie perguntando o que ele tinha achado, mas como eu disse, ele não é a pessoa mais agradável do mundo e certamente nunca foi agradável com minha pessoa.

Quanto foi a última vez que você falou com sua irmã?
Nós trocamos emails há mais ou menos três semanas. Não nos falamos há algum tempo. Eu sei que ela tentou me ligar para conversarmos sobre o livro antes do lançamento mas eu não atendi a ligação. Eu não quero mais estar sujeito ao que ela quer ou não quer que eu faça. Eu não retornei a ligação.

Um jornal americano disse que duas das suas entrevistas marcadas para divulgar o livro foram canceladas por causa dela...
Bem, ela e a equipe dela têm muito poder nas mãos. Sim, houve um ou dois programs de tevê que cancelaram minha participacão em cima da hora. Eles não queriam me ter como convidado, do contrário jamais teriam Madonna nos programas.

É verdade que Madonna não gosta da madrasta de vocês?
Elas têm um relacionamento civilizado, mas não são amigas. Basicamente tudo teve origem quando nossa mãe morreu e nosso pai se casou imediatamente. Temos uma certa cultura, "você não é nossa mãe, você é o inimigo", mas isso foi há muito tempo.

Você gostaria de voltar a falar e ter um relacionamento com sua irmã?
Seria ótimo ter um relacionamento com ela, entretanto, não acho que isso seja possível por causa da atitude do marido dela com relação a mim. Eu acho que seria possível se ela reconhecesse que somos duas pessoas iguais. Eu acho que a Kabbalah faz as pessoas pensarem que por causa de poder e fortuna você está de uma certa forma mais conectado com Deus, portanto, é melhor do que todo mundo.

Você acha que traiu sua irmã com esse livro?
Eu não acho que tenha sido uma traição de nenhuma forma, algumas pessoas gostariam de ver nós dois nos degladiando nos tablóides mas o livro está longe de ser dessa forma. Essa é minha perspectiva sobre a minha história, que envolve bastante da história da minha irmã também. Essa é sem dúvida uma representação fiél de nossas vidas.

Você acha que Madonna e Guy estão caminhando para um divórcio?
Eu não acredito que eles estejam em um processo de divórcio. Eles têm uma família e acredito que eles se amavam quando decidiram se casar. Eu não sei te dizer o estado do casamento agora, mas sei que eles farão o possível para salvar o relacionamento. Para isso terão que unir forças e trabalhar como um casal, o que não deve ser fácil pois a carreira de um está intacta enquanto a do outro está em declínio.

Ao que você atribui o final de seu relacionamento com sua irmã?
Puro e simples: Guy Ritchie. Acho também que foi o fim de um ciclo, eu estive presente na vida dela desde sempre e era hora de mudar e achar minha própria identidade. Meu relacionamento com ele era inexistente. Ele nunca esteve confortável com minha presença na vida da minha irmã e vivia fazendo piadas sobre o fato de eu ser gay e me tratanto como um empregado. Eu nunca tinha tido problemas com namorados dela ants de Guy. Basicamente a última pessoa que fala com minha irmã de noite e que dorme junto com ela tem total poder sobre a vida dela. Eu e Guy Ritchie não podemos viver no mesmo hemisfério.

O que você acha dele, como pessoa?
Eu não gosto dele. Guy Richie é um indivíduo desagradável. Eu nunca consegui encontrar uma forma de ser amigo dele. A proximidade e minha amizade com minha irmã foi sempre um problema.

Como você descreve sua irmã como esposa?
Estar casado com ela é próximo ao impossível. A carreira dela está inabalada e a dele estagnada. Em algum nível isso começa a fazer a diferença e mesmo que inconscientemente existe uma batalha de egos para saber quem está se dando melhor.

Qual sua opinião sobre os rumores de que sua irmã estaria tendo um caso extra-conjulgal com o jogador Alex Rodriguez?
Eu tenho certeza que toda essa história sobre "A-Rod" é besteira e invenção da mídia. Apesar de tudo, ela ainda é uma garota católica. Deve ser difícil abrir os jornais todos os dias e ler que seu casamento está em crise e que você vai se separar. Seria o mesmo se alguém virasse para você todos os dias e repetisse 'você é feio, você é feio', chega uma hora que você passa a acreditar no que dizem.

E aquela história com Britney Spears?
Minha irmã se cerca das qualidades que ela não tem. Isso é de uma certa forma o que alimenta o mito. Por exemplo, ela era amiga de Sandra Benhard porque é uma péssima contadora de piadas. Gwyneth Paltrow é amiga porque é uma grande atriz e assim por diante. Britney era mais popular do que ela na época do beijo na MTV e curiosamente, Madonna fez uma troca de cadeiras depois do beijo. A carreira de Britney afundou e a dela voltou ao ápice. Isso é como ela se mantém no topo. Ela usa as pessoas e quando tem o que quer, muitas vezes descarta essas pessoas. São raros os casos de pessoas que colaboram com ela por muitos anos. Aconteceu comigo e posso te dar uma lista grande de pessoas que cairam no que chamo de 'buraco negro' da minha irmã.

Você acha que sua irmã faz idéia de que ela seja má atriz?
Obviamente não! Coloque Madonna no palco, em um show, e ninguém pode superá-la mas atuar realmente não é o forte dela.

Você também sugere que Madonna tem a voz fraca...
Primeiramente ela não é uma cantora e sim uma performer. O que ela faz no palco exige preparo físico, vocal e muita concentração. Ela podia ter a voz ruim antes de Evita, mas trabalhou duro para conquistar o papel e desde então a voz dela é forte, clara e limpa e só melhora com o tempo. Eu acho que ela não tem o crédito que merece, não existe outra artista que faça o nível dos shows dela, que dance por duas horas e que cante sem parar. Tudo é bem mais complexo do que parece. A estrutura dos shows são grandiosas e ela, com a ajuda de pessoas no topo do ramo, lidera tudo sozinha, com atenção a todos os detalhes. Ela tem controle total sobre a máquina e sabe de tudo, de som até iluminação.

Como ela se prepara para os shows?
Ela dá a vida e ensaia 12, 13, 14 horas por dia. Acho que ela ainda faz o mesmo pois não trabalhamos juntos em um show há 15 anos. Como disse, ela entende de tudo e se envolve em todos os processos. O perfeccionismo é tamanho que existe uma mulher da mesma altura, estatura e que sabe dançar no palco, ensaiando com ela. Ela senta na platéia como audiência e assiste ao show espelhado nela e de lá corta e retira o que não funciona. Ela precisa ter o ponto de vista da platéia com ela no palco.

Você afirmou que Madonna fez cirurgia plástica. Isso é verdade?
Isso é bastante óbvio, você não acha?

Mas ela vive negando que tenha feito plástica...
A plástica dela é como um elefante dentro de um quarto e que ninguém quer falar a respeito.

Você já envergonhou de algo que ela tenha feito?
Sim, existem um número de vezes que senti vergonha por causa dela. Quando as fotos que ela tirou para estudantes de arte foram vendidas para a Playboy e Penthouse, durante o Girlie Show ou quanto ela simulou uma masturbação no palco na Blonde Ambition tour... Houve diversas vezes que não apenas eu, mas minha família inteira teve vergonha dela. Nunca foi fácil para nossa família lidar com o super estrelato, esse foi um dos motivos que me levou a escrever o livro: Eu sei que estou dando voz a meus irmãos e irmãs e parentes e estou dizendo o que eles gostariam de dizer mas nunca tiveram oportunidade.

Como era sua irmã quando criança? Ela sempre foi extrovertida?
Sim, ela era basicamente desse jeito desde pequena. Você tem que saber que existiam 8 filhos competindo por atenção, então era difícil ser o centro das atenções o tempo todo.

Como você descreveria o casamento dela, na Escócia?
Foi desconfortável para mim do início ao fim. Muitas das coisas por que passei por lá têm origem no fato de que eu, basicamente, fui chantageado para comparecer ao casamento. Você entende, fui de uma certa forma forçado a ir quando não estava afim. E foi dessa forma, começou ruim para mim e terminou ruim.

Você considera sua irmã uma mulher solitária?
Acho que existe uma certa solidão que a cerca. Mesmo ela sendo casada e tendo filhos ela está em uma posição onde está basicamente solitária.

Madonna disse uma vez que 'você pode negociar com um terrorista, mas não pode negociar com ela.' Isso é verdade?
Ela pode ser desse jeito, mas é apenas uma máscara que ela coloca para intimidar as pessoas. O fato é que, sim, você pode e tem como negociar com ela. O segredo é a forma como você faz e não o ato por si só.

Existem algumas referências ao uso de drogas no livro. Você menciona maconha e ecstasy. Você já viu alguma vez sua irmã usar drogas pesadas?
Não. Nunca. Jamais vi algo desse gênero. O baseado e o ecstasy te garanto que ela consumiu uma ou duas vezes, apenas, e isso quando ela se mudou para Nova York. Ela nunca usou nem experimentou ou tem qualquer atração por drogas. Ela bebe muito pouco e não é muito chegada a álcool.

Você acha que um dia ela vai voltar a morar nos Estados Unidos ou vai ficar para sempre vivendo na Inglaterra?
Eu acho que ela um dia volta para os Estados Unidos. Não sei por quanto tempo ela vai ser capaz de bancar a aristocrata britânica.

Você acha que um dia voltará a falar com ela?
Sem dúvidas, um dia encontraremos uma forma de nos reaproximarmos, mas se um dia isso vier a acontecer, gostaria de ser respeitado. Eu gostaria de conhecer meus sobrinhos um pouco melhor e conhecer o David.



Para saber mais sobre sua biografa, veja as notícias que já foram publicadas anteriormente aqui no MadonnaOnline. CLIQUE AQUI

Por Fernando S.



---------------------


Numa matéria que divulga as duas recentes biografias não autorizadas da Madonna no mercado, o irmão de Madonna, Christopher Ciccone, conversou coma Folha de SP sobre sua obra-prima.

Além disso, revelam com exclusividade que a biografia dele será lançada no Brasil em outubro!

Confira:

50, de cima a baixo
Ao completar meia década, Madonna é tema de duas novas biografias, uma delas escrita por seu irmão, que fala à Folha

(...) "Madonna 50 Anos - A Biografia do Maior Ídolo da Música Pop", de Lucy O'Brien (Nova Fronteira), diz que ela tinha só 12 anos ao chocar os coleguinhas, e que usava um collant.
A que sai em outubro, pela editora Planeta, complementa a cena com um testemunho do autor: "Na escola, os garotos me puxavam e diziam: "Sua irmã Madonna é uma vagabunda'". É Christopher Ciccone, 48, quem assina "Life with My Sister Madonna" (a vida com minha irmã Madonna). Se Lucy O'Brien tentou mapear a carreira da cantora (sem trazer à tona nada muito revelador), o quinto dos seis irmãos Ciccone não fez mais que vasculhar na memória as frustrações de ter a "irmã mais famosa do mundo".
"Tendo sido capaz de sobreviver a essa aventura, resolvi contá-la", diz o irmão de Madonna à Folha, por telefone, de Nova York. Uma história que, ele admite, a cantora, retratada como "incapaz de rir de si mesma" e "de respeitar qualquer um que não seja ela", fez de tudo para não ver chegar às lojas.
"Life with My Sister Madonna" saiu em julho nos EUA e há três semanas figura entre os mais vendidos de não-ficção do "New York Times" -na 2, 3 e 7 posição, respectivamente.


Madonna não vê ninguém à sua altura, diz irmão
Livro ressalta a "absurda falta de tato" da cantora, mas Christopher Ciccone diz que só quis mostrar "lado humano"
Irmão expõe histórias como fora em Demi Moore, beijo da cantora na amiga Gwyneth Paltrow e homofobia do marido, Guy Ritchie


"Guy e eu vamos ver um filme agora, mas você e Ashton podem ficar para a sobremesa", disse Madonna a uma atônita Demi Moore após um jantar na sua mansão de Los Angeles, para o qual convidara a atriz e o marido, o ator Ashton Kutcher.

A história aparece em "Life with My Sister Madonna", de Christopher Ciccone (em co-autoria com Wendy Leigh), como exemplo da "absoluta falta de tato" da cantora -principalmente depois do casamento com o diretor Guy Ritchie. Ciccone credita à "homofobia" do cunhado o afastamento de sua irmã não só dele próprio, há alguns anos, mas de outros gays -algo que o ator Rupert Everett, também homossexual e amigo de Madonna, já havia relatado em sua autobiografia. "Ele tinha medo da minha influência sobre ela e do fato de eu ser gay. Guy Ritchie aconteceu [para pôr fim] na nossa relação", diz Ciccone à Folha, como se o livro não revelasse outras motivações -incluindo o fato de Madonna ter descoberto que o irmão superfaturava móveis que comprava para ela.

Além de ter bancado o decorador da irmã, Ciccone cuidou do cenário da turnê "Blonde Ambition" (1990), cuja união dos temas sexo e catolicismo levou o papa a pedir o boicote do show, e fez a direção de arte da "The Girlie Show" (1993), que a cantora trouxe ao Brasil. A turnê seguinte, "Drowned World" (2001), já começou sob o "reinado" de Guy Ritchie, com quem ela se casou em 2000. Ciccone ficou de fora.

Continuou por mais alguns anos freqüentando as mesmas festas que Madonna, num resquício de convivência. Mesmo dessa fase Ciccone acha por bem extrair histórias pessoais como a do beijo que Madonna deu na boca de Gwyneth Paltrow, numa festa da estilista Donatella Versace, e a cena da diva se forçando a tomar cerveja, num pub, para "experimentar o que Guy experimenta". "Ela sempre tentou entrar no mundo de seus parceiros, mas não acho que tenha sido bem-sucedida.

Para um casamento dar certo, você tem de agir de igual para igual com a outra pessoa. E, bem, Madonna não acha que ninguém esteja à altura dela", afirma Ciccone. Apesar da postura amarga, ele diz não temer que tal invasão de privacidade o leve a um encontro nos tribunais. "Não há nada "processável" no livro. O que fiz foi mostrá-la como o ser humano que é, e lembrá-la de que suas ações afetam as pessoas. Porque, quando está nessa posição, você esquece".

Amor e ódio
"Madonna 50 Anos - A Biografia do Maior Ídolo do Mundo Pop", de Lucy O'Brien, é o extremo oposto na relação de amor e ódio que a cantora inspira. "Tornei-me uma fã de Madonna em 1985", admite a autora, já na introdução. O'Brien encontra nas palavras da ensaísta Camille Paglia a explicação para os mais de 25 anos de sucesso ininterrupto da diva cinqüentona: "Ela reuniu e cicatrizou as duas metades divididas das mulheres: Maria, a virgem abençoada e mãe sagrada, e Maria Madalena, a prostituta". (RAQUEL COZER)

Por Rafael Augusto