Entrevista exclusiva para a Revista 'Veja' - 1992

Veja: Você é a artista mais famosa do mundo e também a estrela mais censurada de todos os tempos. Essa repreensão destina-se a domesticá-la. Por que você não baixa a bola?
Madonna: Eu sou censurada porque procuro mostrar a verdade e a verdade incomoda. A idéia de me conformar não me passa pela cabeça. Faço o que eu quero e vou continuar a fazer. Os artistas não deven se conformar. Quer saber de uma coisa? Essa questão nem me preocupa.

Veja: Você põe medo nas pessoas. Seu comportamento, sua sexualidade, sua nudez e até mesmo suas roupas amedrontam. Por quê?
Madonna: Não sei. Nem sou eu quem tem que saber. Eu faço minhas coisas a sério. Não sou eu quem tem que explicar a reação dos outros. As coisas que eu faço não são estranhas e eu sempre fui como sou. Nunca pedi desculpas, nem vou começar a pedir. Pelo contrário, não vou parar minha luta.

Veja: E qual é a sua luta?
Madonna:
Contra o racismo, sexismo, a perseguição contra homossexuais, o preconceito, a ignorância.

Veja: Na última frase do seu livro você diz "muita gente tem medo de dizer o que quer e é por isso que eles não conseguem o que querem". Esse medo é o mesmo em todas as áreas da sociedade?
Madonna: O mesmo, de alto a baixo. Há muita repressão, muita mistificação.

Veja: Você não acha que há muita gente lhe rogando praga? De vez em quando circula um boato que você está com AIDS...
Madonna: Acho que há muita gente querendo que eu dê um mau passo, de qualquer tipo. É gente que no fundo tem medo de mim e finge que pensa que eu vou morrer. Digo que fingem porque no fundo o que eles têm é apenas medo. Podem ficar esperando.

Veja: Você vai morrer?
Madonna: Eu?

Veja: É...
Madonna: Vou viver 300 anos.

Veja: O que você acha da Princesa Diana?
Madonna: Eu tenho pena do que fazem com ela. Todo mundo pega no pé dessa moça. Ela não é uma artista, é uma princesa. Casou com um sujeito para ter e criar filhos. Cercaram-na de tal maneira que vive numa situação terrível. Tudo que se escreve sobre ela é ruim, perverso. Deviam deixá-la em paz.

Veja: Mas escreve-se sobre de fato o que acontece com ela.
Madonna: Coisa nenhuma. Se fosse assim, apareceriam de vez em quando notícias boas, dizendo que ela estava feliz. Nada. Só se vê coisa ruim. Isso acontece porque as pessoas têm ruim e querem achar ruindade na vida alheia.

Veja: Quem? Os jornalistas ou os leitores?
Madonna: As pessoas que ficam procurando desgraça na vida dos outros para compensar a própria infelicidade. Você sabe muito bem que notícia boa não vende jornal nem revista.

Veja: Você diz que todas as revistas do mundo já publicaram mentiras a seu respeito. Dá para tirarmos algumas dúvidas?
Madonna: Quais?

Veja: Você sai de limusine pela noite pegando garotos no sul de Manhattan?
Madonna: Mentira.

Veja: Você já passou uma noite com Michael Jackson, os dois nus comendo pipoca e vendo vídeos à luz de velas?
Madonna: Mentira.

Veja: Você foi sem calcinha a um desfile de modas de Jean-Paul Gaultier e sentou-se na primeira fila, com a saia levantada?
Madonna: Mentira

Veja: Você gosta de apanhar de levar tapas?
Madonna: Verdade.

Veja: Que sensação as palmadas lhe dão?
Madonna: Não é da sua conta!

Veja: Você diz que a sociedade americana perdeu o senso de humor. Quando foi que isso aconteceu?
Madonna: Quando os puritandos desembarcaram do Mayflower no século XVII. Essa sociedade nunca teve senso de humor e não tem hoje porque não tem história. A América é uma coisa muito jovem e burra para chegar a ser engraçada. As pessoas pensam muito pouco em viver a vida. Passam muito tempo correndo atrás de falsas questões. Como é que você consegue desenvolver um senso de humor vivendo assim?

Veja: A sociedade italiana é muito mais velha e lá você foi mais perseguida que aqui.
Madonna: Em primeiro lugar. Na Itália há o Vaticano e as pressões da Igreja Católica. Não se engane. Os italianos gostam muito mais da vida.

Veja: Qual a pecentagem de americanos que conseguem viver direito?
Madonna: É pequena. Não passa de 20%.

Veja: Por quais razões você acha que a sociedade americana vai mal?
Madonna: Porque nela não se diz a verdade e porque as pessoas não se divertem, não vivem a vida com prazer. É um problema que começa na infância e vai adiante no processo educacional. As pessoas são educadas para terem medo de tudo. Há medo demais por ai...

Veja: Você se diverte?
Madonna: Muito.

Veja: Se você fosse homem a baixaria contra o seu trabalho seria a mesma?
Madonna: Não posso saber, porque não sou homem. Mas acho que seria bem menor.

Veja: Quanto?
Madonna: Digamos que ela seria um quinto do que é. É um palpite razoável.

Veja: A obscenidade existe?
Madonna: Existe e está diante de nossas caras. É o racismo, a discriminação sexual, o ódio, a ignorância, a miséria. Há coisa mais obscena que a guerra?

Veja: No seu livro você diz que é Dita Parlo, uma atriz do cinema mudo francês. Quem é Dita Parlo?
Madonna: É uma mulher que gosta da vida e da liberdade, uma persona, uma mulher fatal, uma fantasia.

Veja: No seu próximo filme, "Corpo em Evidência", você mata um homem de tanto levá-lo para a cama. A pancadaria contra Madonna já começou. Estão dizendo que as cenas de sexo e masturbação vêm a ser indignas de uma estrela.
Madonna: Devagar. Eu não mato ninguém. Sou acusada de matar. Ou melhor, sou acusada de provocar o ataque cardíaco que mata o sujeito. Eu acho que não foi minha culpa. Quanto à discussão das cenas, é uma conversa velha, mas ninguém disse que Marlon Brando não podia filmar as cenas de sexo de "Último Tango em Paris" porque era um astro...

Veja: No filme "Diabo no Corpo", do diretor italiano Marco Bellocchio, a atriz holandesa Maruschka Detmers decidiu fazer sexo oral com o parceiro em cena aberta...
Madonna: Grande cena.

Veja: Pode-se esperar que você faça coisa parecida em breve?
Madonna: Euuuuuu?

Veja: É...
Madonna: Nem pensar. Não vou fazer uma coisa dessas. Aliás eu nem preciso. Eu sei representar que estou transando sem precisar transar. Aliás, para fazer o papel de uma assassina eu preciso matar o ator? O artista finge.

Veja: Como se pode entender que as suas fantasias sexuais estejam cheias de couros, metais e chicotes e você diga que não faz sexo oral porque considera a situação humilhante para a mulher? A cena do filme "Na Cama com Madonna" em que você enfiou uma garrafa de água mineral na boca está na cabeça de todas as platéias do filme...
Madonna: Eu disse isso?

Veja: Disse, numa entrevista à revista Rolling Stone.
Madonna: A cena da garrafa foi uma brincadeira. Eu estava simulando a prática de sexo oral. Era fantasia, não me leve a sério...

Veja: O que você quer dizer no seu livro quando informa que tem um "falo na cabeça"?
Madonna: Eu não quero dizer nada. Quem diz isso é Dita Parlo...

Veja: Mas aqui nesta sala, a única pessoa que se comunica com Dita Parlo é você.
Madonna: Certo. O falo é associado à masculinidade, à força guerreira. Eu tenho essas características na minha cabeça, não preciso tê-las entre as pernas. A minha masculinidade é cerebral.

Veja: Você gosta dessa masculinidade?
Madonna: Gosto, assim como gosto da feminilidade.

Veja: No seu livro há uma série de conselhos de sedução feminina: não ir para cama nos cinco primeiros encontros, bom perfume, ligas e uma situação inesperada em cada ocasião. Que mais?
Madonna: Olhar no olho sempre que possível. Tocar.

Veja: Começando por onde?
Madonna: Pelo rosto.

Veja: No seu tempo de garota, você não contava tudo nem ao seu padre-confessor. Hoje você diz que ninguém sabe quem é Madonna, nem saberá. Mesmo assim, há dez anos você achava que seria quem é hoje?
Madonna: Há dez? Eu sou a mesma pessoa desde os 5 anos de idade...

Veja: Qual você acha que foi o maior homem da vida de Marilyn Monroe: Joe DiMaggio, Arthur Miller, John Kennedy ou Robert Kennedy?
Madonna: Foi o pai dela.

Veja: O que você acha de Marlene Dietrich ter tido um caso com o general George Patton, comandante dos tanques americanos durante a II Guerra, verdadeiro arquétipo de machão?
Madonna: E por que não?

Veja: Você gostaria de fazer o papel de Evita Perón. Não lhe constrange o fato....
Madonna: De Perón ter sido um fascista?

Veja: Ele fascista e ladrão, ela uma demagoga.
Madonna: De maneira nenhuma. Ela é uma figura muito importante. Quando um personagem tem um lado ruim, isso não significa que deixe de ser fascinante. Evita Perón é um personagem fantástico. Muitas pessoas têm defeitos e não chegam sequer a ser interessantes.

Veja: Em 1989, quando lhe entregaram o troféu de "Artista da Década", você o lambeu. Pode-se esperar que algum dia na cerimônia de entrega dos prêmios da Academia você lamba um Oscar?
Madonna: Não me lembro desse caso. Quem será que me deu o prêmio de "Artista da Década"? Bem, eu não lamberia o Oscar. Eu o esfergaria, que ele beijasse o meu bundol.

Veja: No seu livro há uma fotografia na qual você está nua numa pizzaria. Sua equipe teve que sair logo porque a dona chamou a polícia, apesar de a freguesia não ter dado muita importância à chegada da moça nua. Quando você entrou, o que achava que ia acontecer?
Madonna: Eu achava que ia comer uma pizza.

Veja: Mas mesmo em Nova York, não é comum uma mulher entrar numa pizzaria só com sapatos de salto alto pretos.
Madonna: Eu achava que ia ganhar uma pequena quantidade de pizza e uma grande quantidade de atenção.

Veja: Por que você não vê televisão?
Madonna: Porque é chato. Você vê televisão nos Estados Unidos? É uma coisa chatíssima...

Veja: O que você acha da Hilary Clinton?
Madonna: Ela devia parar de pedir desculpas por ser uma mulher que tem uma carreira própria.

Veja: Ponha na ordem de sua preferência esta lista de homens: Bill Clinton, Michael Jordan, Bill Gates, Spike Lee, Steven Spielberg.
Madonna: Quem é Bill Gates?

Veja: O homem mais rico dos Estados Unidos, dono da MicroSoft, fabricante de programas de computadores. Tem mais ou menos sua idade.
Madonna: 1 Michael Jordan (risos); 2 Spike Lee; 3 Bill Clinton; 4 Bill Gates; 5 Steven Spielberg.

Veja: Você começou a comprar quadros de Frida Kahlo, mulher de Diego Rivera, antes que ela se transformasse em ícone do feminismo e suas obras começassem a ser vendidas por 1 milhão de dólares. Depois você disse que pretendia filmar a vida dela. O que você quer, libertar Frida Kahlo da vida atormentada que ela viveu ou quer vingá-la?
Madonna: Quero mostrar o triunfo dela sobre o acidente que a levou a passar por dezenas de cirurgias e a amarrou em uma cadeira de rodas.

Veja: Mas "triunfo" mesmo ela só teve depois de morta...?
Madonna: Pois quero mostrar isso também. A vida de uma grande mulher, seu sofrimento, sua glória.

Veja: Imagine que você fosse Gregor Samsa, o personagem de Frank Kafka. Um dia você acorda e virou um inseto, talvez uma barata. O que você faria?
Madonna: Primeiramente eu ia procurar um lugar onde ninguém pudesse me pisar. Depois ia ver se achava outros insetos no pedaço. Ia procurá-los e acabaria encontrando-os. Então agente faria uma boa turma e ia se divertir.