Entrevista ao 'New Musical Express' - 1998

DROWNED WORLD/SUBSTITUTE FOR LOVE
A primeira música do disco mostra de cara o estilo eletrônico do albúm. É uma melodia que lembra o oriente em sons sônicos, Madonna nos conta que aceitou sua fama e compreende o que realmente importa na vida. Madonna: "Faz tempo que compreendi que a aprovação, os titulos por se famosa e ser querida de forma universal, não são substitutos do amor verdadeiro". Orbit: "Esta é uma das minhas canções favoritas. Você se sente mergulhando nela. Eu escuto muito essa canção, algo que não costumo fazer com minhas músicas, mas com essa não pude resistir".

SWIM
Os sons relaxantes das ondas do mar dão começo a esta super canção. Líricamente irresistivel, "Swim" nos fala dos perigos do Karma Maldoso. É uma das três canções do álbum em que a água é o elemento predominante. Madonna: "A água é um elemento muito curativo. Temos água durante o nascimento, temos água no batismo, e quando vc entra no banho ou no oceano vc se sente mais limpo, vc sente como se pude-se começar tudo de novo. Vc se sente novo, curado. Isso aconteceu com a minha vida, e estou explorando essas sensações nas minhas letras". Orbit: "Uma voz muito interessante. No dia em que estavamos no estúdio gravando essa música, recebemos um telefonema comunicando que Gianni Versace tinha sido assasinado..".

RAY OF LIGHT
Essa é a canção que dá título ao disco, e que será o segundo single. Sem sombra de dúvida, será um super sucesso. Esta mistura pop/techno/dance começa de forma inocente mas logo estala em uma rápida marcha disco dos anos 90. Madonna canta com uma emoção elétrica não muito usual. Madonna: "É algo totalmente fora de controle. A versão original tinha cerca de dez minutos. Foi um sacríficio ter que editar-la para poder entrar no albúm e assim torná-la trabalhavel."

CANDY PERFUME GIRL
Esta psicodélica melodia trance com um ritmo sintetizado começa cheia de sons distorcidos e uma música teatral que infecta o albúm. Orbit: "Com esta canção entramos num abismo sonoro. Comecei a trabalhar nela durante uma madrugada, estava morrendo de sono mas quanto mais mexia com os sons, mais minha imaginação brotava, não pude parar de escutar e trabalhar na canção."


SKIN
Uma composição de Patrick Leonard surpreendentemente transformada em uma canção dance/techno/trippy de primeira categoria. Devido a sua complexidade, este tema foi o último a ser acabado. Orbit: "Fomos provando de todas as maneiras as vozes. Isso encantou Madonna, desmontar a música. Madonna gosta de sons repetidos e simples. Pode-se fazer muita música de qualidade com sons simples".

NOTHING REALLY MATTERS
Esta canção, inspirada em Lourdes, não é somente poderosa na sua letra, ela também tem o estilo clássico de Madonna, com uma pitada de techno. Orbit: "É muito charmosa. É uma simples canção pop onde o mais importante é a letra".

SKY FITS HEAVEN
Uma melodía encantadora mesclada com os sons modernos do techno, golpes de batería, sintetizadores e super guitarras elétricas. Madonna canta uma letra poética com muita força. Orbit: "Escoutou esses tambores? Certo, pois são um erro. Eu passei horas provando sons estranhos e diferentes antes de passar para os sons claros".

SHANTI/ASHTANGI
Essa canção incorpora versos de um antigo livro hindú. Calcada em um ritmo oriental, Madonna canta em sanscrito. Essa canção é lado-B do primeiro singles: "Frozen". Madonna: "Escutei o sanscrito pela primeira vez durante um exercicio de yoga. Meu professor me ensinou esses mantras em sanscrito pois eles são parte da tradição da yoga. E eu muito curiosa quis saber o que eu estava dizendo, assim ele me apresentou a um professor de sanscrito com quem estudei por um tempo. Algums mantras são realmente preciosos, o do meu albúm é uma combinação de mantras. Quando você o pronuncia se supõe que produz um sentimento de tranquilidade e felicidade em teu interior".
Orbit: "Ela está viciada em yoga e no mundo esotérico, e esta canção nasceu disso. Ela é uma estudante muito aplicada, quando mixei um conjunto de frases na ordem incorreta ela foi insistente para que fizezemos a mixagem de forma correta. Essa foi uma das canções mais fácies do albúm pois só levei quatro dias para fazê-la".

FROZEN
O primeiro single tem um ritmo lento e clássico. Um experimento eletrônico completado com um encatador coro de violinos, instrumentos de cordas variados, sintetizadores e a voz etérea de Madonna. Madonna: "Eu queria trabalhar novamente com Patrick Leonard em algumas canções como Frozen porque ele, como músico experto e experiente, oferecia muitos elementos clássicos para mixar com a textura eletrônica, mais precisamente com o conjunto de instrumentos de cordas. Durante a produção de Frozen ele demorou um pouco até se acostumar com o fato de ter que descontruir a canção." Orbit: " Pat fez um trabalho magnífico, e fui duro para ele. Pessoalmente eu gosto de desconstruir o máximo possivel, já Madonna sempre quer ir muito mais além. As vezes parecia-me que não deviamos ir tão longe, mas Madonna insistia em continuar. Foi triste para Patrick. Ele compõe melodias preciosas, e nos estavamos ali para destrosá-las. Foram conservados os arranjos originais, mas foram colocados novos ritmos e sintetizadores".

THE POWER OF GOOD-BYE
Essa incrivel balada poderá ser o terceiro single. Inclui teclados, baterías e guitarras equilibradas. Orbit: "Essa canção nos roubou muito tempo e dinheiro até conseguirmos acabár-la. Ouve um momento na produção do albúm em que pensei seriamente em abandonar a canção, mas segui lutando e acabamos voando".

TO HAVE AND NOT TO HOLD
Outra magnífica balada que penetra no coração graças a voz profunda e sensual de Madonna. Líricamente brilhante. Orbit: "Para mim esta canção foi muito simples, os sons se encaixaram sem nenhuma dificuldade".

LITTLE STAR
Observando a letra, todos nos esperavamos uma doce e lenta canção de ninar. Mas esse tema dedicado a sua filha Lourdes Maria, é surpreendentemente animada, cheia de deliciosos e delicados efeitos sonoros. Talvez uma moderna canção de ninar techno para os bebês do novo milênio? Orbit: "Eu não estive trabalhando com essa canção, mesmo tendo estado acompanhando sua produção. Marius ia e vinha do estúdio, quando eu a escutei me fascinou, e le dei minha aprovação e meus parabêns."

MER GIRL
Essa comovedora balada enfrenta Madonna a aceitar o que se supõe seja a morte de sua mãe. A voz de Madonna cai susurrante como a chuva. Madonna: "Comecei a escrever "MER GIRL" quando estava na casa de meu pai. Estava correndo e começou a chover, assim fui me refugiar em um cemitério perto do lugar onde me criei com minha mãe. Não é o cemitério onde ela está enterrada, mas é um lugar onde ia freqüentemente. Não parava de chover, e o céu estava mais escuro do que nunca. Resisti ao instinto de enfrentar a chuva e correr. Quando regresei para casa, me invadiu uma estranha sensação de melancolía. Todos tinham saido e fiquei feliz de poder encontrar esse silêncio. Então escrevi Mer Girl. Nesse momento foram só seis linhas. Dias mais tarde escutei a música que Willian Orbit tinha preparado, e de volta a Los Angeles, deitada na minha cama, escutando a música acabei de escrever a canção". Orbit: "Estou muito orgulhoso dessa canção. Tem muito mais estrutura do que pode parecer. Madonna cantou maravilhosamente (em uma só tomada de gravação) no início do projeto. É um dos grandes momentos do album e de sua produção. A maioria dos artistas não vai tão longe com um album".

Tradução: Jhonny Erdmann